segunda-feira, 3 de julho de 2017

NÓS SOMOS ASSIM




A pessoa sonha conhecer/visitar/ um campo de nudismo. Quem sabe, até, aderir definitivamente aos ideais naturalistas. Lê publicações especializadas, pesquisa na internet, encanta-se com a filosofia de vida dos naturalistas, até decora os códigos de ética e regulamentos dos campos e praias nudistas, pelo mundo afora. E, principalmente, vê fotos, muitas fotos, de pessoas vivendo e convivendo em situação de absoluta harmonia, nuas e felizes. As fotos não só mostram pessoas alegres e felizes, mas pessoas bonitas, de corpos (quase) perfeitos: mulheres e homens “sarados”, seios, bundas, coxas, barrigas em harmonia com paisagens paradisíacas, um verdadeiro paraíso. Claro que a pessoa tem espelho em casa, claro que se acha também em condições de se exibir nua em público, já que a vontade de aceitar os ideais naturalistas infla sua autoestima. Então, um dia, essa pessoa, munida de toda a coragem, de todo o conhecimento, de toda a boa vontade do mundo, desembarca num camping naturalista. E o que ela vai encontrar? Corpos perfeitos, homens e mulheres talhados em cinzel por artistas da Grécia antiga? Claro que não! Serão poucos os que assim se podem considerar, serão poucos os corpos modelares vistos nas fotografias devidamente escolhidas, com pessoas previamente escaladas. Mentiras dos fotógrafos? Não, apenas que somos assim: gostamos das coisas belas e nos esquecemos de que não somos e não seremos nunca perfeitos. A humanidade não é feita de corpos maravilhosos, esculpidos por horas e horas de academia. Por sermos simplesmente humanos, nós somos assim, e assim temos de nos aceitar e respeitar:





























Fotos da internet, sem indicação de autoria)