segunda-feira, 17 de abril de 2017

DESPEDIDA DE... SOLTEIRA!



(Milo Manara)

As farras masculinas antes do casamento já são folclóricas. Recentes, no entanto, é o troco que as mulheres vêm dando. Ou seja, muitas também gostam de uma boa despedida de solteira. Que pode ser bastante bem-comportada, com chá e bolachas, quanto com muita folia e muito sexo rolando. Nessa última categoria é que se insere o conto abaixo, que pode muito bem dar uma ideia – aos noivos – do que suas noivas podem estar aprontando por aí. Divirtam-se (ah, sim, nem sei se o conto é real ou ficção – cada um que interprete como quiser):


DESPEDIDA DE SOLTEIRA

POR LUD FIGUEIRA


Não acredito que fiz essa loucura…. Lembro-me até hoje, minha despedida de solteira. Minhas madrinhas junto com minhas damas de honra organizaram minha despedida em um clube de swingers. Entraram na minha casa, me vendaram e me colocaram no carro. Não fazia a menor ideia para onde essas malucas estavam me levando. Só sabia que daqui a dois dias eu estaria casando… Assim eu esperava. 


Saímos do carro, me lembro de elas falando com um cara: –É ela. Pode avisar a eles. Colocaram-me sentada e quando tiraram a venda dos meus olhos, uma gritaria só começou: Estavam todas presentes! Minhas amigas queridas! E o melhor: deparei-me com um lugar completamente fora do comum, foi quando percebi onde estava! 


De repente as luzes começam a piscar e o locutor a falar meu nome e anunciar que a noite era para mim! Da escada que ficava acima do palco, desce um homem, vestido de marinheiro e começa a dançar, me puxa da cadeira, me leva ao palco e começa o show. Confesso que aquilo tudo era excitante, mas também me apavorava, me deixava tímida, por mais que só estivessem minhas amigas…


Fiquei meio sem jeito ali no palco, com aquele cara roçando em mim, mas tentei entrar na dança. Logo voltei para meu lugar e comecei a beber: Precisava de um estimulante para entrar no clima da festa! Vi passando um cara, que usava apenas uma sunga e um avental. Pedi duas doses de tequila!!! As minhas amigas gritavam: Hoje ela vai perder toda a timidez!!!! A tequila desceu rasgando e eu continuei fiel às doses de tequila… 


A cada show de gogo boys, tinha um intervalo, onde o DJ, por pedidos de minha madrinha de casamento, estava tocando as músicas que eu mais gostava! Me acabei de dançar, não imaginava que uma despedida de solteiro pudesse ser tão animada! Saí da pista de dança, agora bem mais solta e me encaminhei ao banheiro…Foi quando eu vi um cara chegando com uma mochila, vestindo uma regata, uma calça jeans rasgada, com um corpo – com certeza ele passava o dia todo na academia! 


Meu Deus, que gostoso! Com uma cara daqueles dançarinos de axé (eu sei que pode soar cafona, mas sempre tive uma fantasia sexual com esses caras) que ele parou e me disse: –Olá! Eu fiquei parada alguns segundos, retribui o mesmo “olá!” e entrei para o banheiro... antes de uma olhadinha para traz e ele estava lá, parado me olhando… Nossa, que delícia! Voltei para meu lugar e me preparei para o próximo show! Chegou as minhas mãos um drink que eu não faço idéia do que havia dentro daquele copo, mas bebi com muita vontade. 


Mais alguns minutos e o locutor avisa a entrada de mais um gogo boy. Vestido de guerreiro, com uma máscara, ele começou sua performance… Puxa uma, sobe outra, e assim minhas amigas o ajudavam a ficar sem roupa… Estranhamente eu não tirava os olhos desse gogo boy, até que ele me tirou, estava de sunga e máscara… Levou minhas mãos ao rosto dele e fez sinal para eu tirar a tal máscara que escondia seu rosto. Na hora reconheci aqueles olhos que me seguiram até o banheiro…. 


Ele não tirou os olhos de mim e dançou completamente nu, apenas me olhando… Desci do palco, completamente encharcada! Aquele homem tinha alguma coisa que me deixava completamente sem rumo… Mais música e mais show. Até que o locutor anunciou: agora a nossa noiva vai escolher qual o gogo boy que vai para a cela (um quarto exótico) com ela! De repente cinco homens de cueca me aparecem no palco e minhas amigas me levantam e me ajudam a subir. Na hora meu olhar cruzou com o dele e senti uma leve surpresa ao saber que eu era a noiva. Não demorei muito e, lógico, o escolhi! 


As meninas permaneceram no andar de baixo e eu fui, de mãos dadas, levada para a tal cela por ele. Chegando lá, ele passou uns minutos me olhando, com uma venda na mão e eu olhando para ele… Não pensei em nada e pulei em cima dele, com uma vontade, um tesão, estava tão excitada, me sentindo uma fugitiva, fazendo algo errado… Que delícia! Ele me beijou tão loucamente quanto eu o beijara, passou a mão por todo meu corpo… Eu fui direto naquele documento ereto que ele possuía dentro da sunga e comecei a massageá-lo... 


Ele fez o mesmo com sua mão: levantou minha saia, colocou minha calcinha para o lado e fez um vai e vem com aquela mão… usando todos os dedos… Um calor, cada beijo que parecia que ele havia sido feito sob encomenda para mim… No meio daquela loucura toda, daquela cela completamente fechada eu olhei para ele e disse: – Eu quero dar para você agora! Ele ficou me olhando e disse: - Me espera dois minutos! Saiu e eu não conseguia pensar em nada! Estava completamente subindo pelas paredes, louca de tesão, em nenhum momento eu lembrei que dali a dois dias eu iria casar…. 


Aquele homem de 1.90 de altura volta, em sua mão uma camisinha. Nossa! Preciso falar: que pau enorme! Que corpo maravilhoso, que loucura! Ele deitou e me colocou em cima do seu rosto e pediu que eu rebolasse! Ah! Que chupada foi essa, suas mãos em minha cintura, sua língua não parava e eu já estava totalmente entregue. Levantou e colocou seu instrumento na minha boca, sua mão segurando meus cabelos enquanto eu o chupava deliciosamente. Colocou-me de quatro e eu pude sentir aquele gigantesco instrumento entrando e saindo, entrando e saindo, bem fundo dentro de mim…. 


Mordidas pelo corpo, lambidas de até perder as contas... No meu ouvido ele falava: Gostosa! Cachorra! Está gostando do meu brinquedo? Senta aqui! Rebola, vai… Perdi as contas dos orgasmos sentidos naquela noite, dentro daquela cela… Terminamos e, ao invés de ele voltar ao trabalho, saí de fininho junto com ele e fui continuar minha despedida em outro lugar... Aquela noite era só minha e do meu presente gostoso.





Fontes:









(Fotos da internet, sem indicação de autoria)



Nenhum comentário: