segunda-feira, 26 de setembro de 2016

UM DEMÔNIO TARADO E ALGUMAS FREIRAS ENSANDECIDAS





“O convento do inferno” (“El Convento infernal“) é uma história em quadrinhos erótica escrita e ilustrada pelos espanhóis Ricardo Barreiro e Ignácio Noé, publicada em 1987. Contém uma combinação explosiva de sexo entre as freiras e um demônio, dentro de um convento isolado, com referências a mitos como de Cthulhu, criado por HP Lovecraft. Como não é possível reproduzir aqui todas as páginas do livro, para degustação de meus leitores e leitoras, apresento-lhes um resumo da história e algumas das pranchetas mais significativas, indicando no final a fonte onde se pode ler a íntegra, em espanhol ou em inglês.

O CONVENTO DO INFERNO


A história se passa no ano de 1951, em um convento isolado perto da cidade espanhola de León , presidida pela sádica madre Juana. Na cena de abertura, duas outras freiras ajudam-na a torturar uma freira mais jovem com um gigantesco vibrador de madeira.


No dia seguinte, uma porta ornamentada, fixada com um parafuso pesado e vários cadeados, é descoberta atrás de uma estante em uma adega, no depósito do convento. Madre Juana e irmã Teresa, seu braço direito, examinam uma planta do convento datada de 200 anos, mas a porta não consta nela.



Naquela noite, madre Juana tem um sonho. Ela vê a irmã Agatha, uma freira do convento no passado, realizando um ritual de invocação que abre um grande buraco na parede da despensa, por onde um demônio, Belzebu, emerge. Agatha, tendo sido lançada fora de seu círculo de proteção pela explosão, é então sodomizada por Belzebu. Juana acorda de seu sonho em um estado de excitação sexual, e começa a se masturbar, inclusive inserindo uma vela acesa no ânus.


No dia seguinte, madre Juana leva Irmã Teresa e três freiras mais jovens para o depósito e ordena que elas desbloqueiem a porta e abram-na. Irmã Luisa (uma freira idosa) entra na despensa, carregando um livro proibido que ela encontrou na biblioteca do convento, o "Necronomicon", escrito por um árabe louco, Abdul Alhazred. Ela mostra a Juana uma página que se refere a três portas para o mundo dos Deuses Primitivos do Mal, um dos quais está localizado dentro de seu convento. Juana adverte Luisa por acreditar em tais blasfêmias, e ordena o que se quebre o último lacre da porta.



A freira que abre a porta é imediatamente atacada e estuprada por sete pontas de tentáculos em forma de pênis. Madre Juana é tomada pela luxúria e se masturba com a visão; Irmã Teresa ataca os tentáculos, obrigando-os a recuar de volta para trás da porta, mas é tarde demais para salvar a vida freira.

  
Em uma reunião naquela noite, Teresa e Luisa sugerem entrar em contato com Roma, mas Juana convence-as de que, para evitar um escândalo, a porta deve apenas ser lacrada de novo na manhã seguinte.


Mais tarde naquela noite, durante uma violenta tempestade, madre Juana deixa seu quarto, desce até o porão e remove as placas que foram apressadamente pregadas em toda a porta naquela tarde.



Ela começa um canto semelhante ao usado pela Irmã Agatha em seu sonho, mas é interrompida em seu ritual por um querubim , um anjo sob a forma de um menino, que pede a ela para desistir. Juana rejeita sua advertência e ataca-o, cravando suas asas na porta.


 Ela, então, estupra o anjo, drenando sua força vital  através de uma felação, e oferece o seu cadáver ressecado como um sacrifício para Belzebu. A porta se abre repentinamente  e o demônio emerge e passa a ter relações sexuais com a ansiosa e excitada a madre Superiora.


Irmã Teresa e Irmã Luisa, despertadas pela tempestade, notam uma luz brilhante vindo da despensa e vão investigar. Irmã Luisa confronta o demônio, mas ele rapidamente a mata. Belzebu, em seguida, fulmina Teresa com um raio em miniatura, fazendo-a sucumbir ao desejo e se juntar a ele e a madre Juana.



Mais tarde naquela noite, Juana e Teresa ordenam a todas as freiras que vão para a capela. Juana invoca Belzebu; a figura de Cristo crucificado se transforma no demônio. Ele usa o mesmo poder demoníaco que corrompeu Teresa com todas as outras freiras, que iniciam uma grande orgia lésbica, enquanto o convento se envolve em um turbilhão de fogo, visto por espantados camponeses dos arredores.



Várias semanas depois, o Papa envia um sacerdote, o padre Kruger, com dois assistentes, para investigar. Kruger recebe um revólver carregado com balas de prata . Tudo parece normal, quando os sacerdotes chegam ao convento, mas, naquela noite, a irmã Teresa seduz e mata os dois padres mais jovens, enquanto a madre Juana tenta fazer o mesmo com Kruger.


Ele resiste às suas tentações no início, mas ela invoca Belzebu. Kruger dispara contra o demônio suas balas de prata, mas Belzebu sai completamente ileso, subjuga o sacerdote, e permite que Juana  drene sua força vital, como  fez com o querubim.


Mais tarde na mesma noite, um casal recém-casado, perdido nas montanhas, enquanto tenta encontrar o hotel onde pretendem começar sua lua de mel, acaba no convento. Irmã Teresa oferece-lhes abrigo, mas eles se tornam as próximas vítimas da súcubo-freiras. Teresa drena o marido de sua vida, enquanto sua esposa se ​​torna joguete sexual do Belzebu.



Na manhã seguinte, no entanto, a mulher consegue escapar do convento, e viaja a Roma para informar o Papa da situação. O Papa envia o exército secreto da Igreja, os monges guerreiros, os Cavaleiros Templários, que descem de paraquedas no convento.


Madre Juana ataca e subjuga o comandante dos Templários, mas quando ela tenta o seu método habitual de drenar sua força vital, seu "pau consagrado" causa-lhe um grande mal e ela é morta por outros Templários com lança-chamas; eles passam a fazer o mesmo com as outras freiras na capela.


 Belzebu é encurralado no depósito, após a irmã Teresa ser morta tentando protegê-lo.  No início, ele fica despreocupado com os lança-chamas, mas o comandante revela que o seu é preenchido com água benta. O demônio é forçado a recuar através do portal e os Templários, em seguida, selam-no para sempre, enquanto o resto do convento é destruído e queimado.





Fonte:




Nenhum comentário: