segunda-feira, 15 de agosto de 2016

ABALO SÍSMICO 7: BETTIE PAGE



Um religioso iraniano, Hojatoleslam Sedighi, disse que “Muitas mulheres que não se vestem de forma modesta levam os homens jovens ao mau caminho, corrompem a sua castidade e espalham o adultério pela sociedade. Isso, consequentemente, faz aumentar o número de terremotos”.


Retomo, depois de algum tempo, os “abalos sísmicos”, para homenagear uma mulher que teve uma vida complexa e sofrida, mas que deixou sua marca de liberdade num mundo já em transformação em sua época, mas que até hoje ainda convive com muito conservadorismo: Bettie Page.


Não vou entrar em detalhes de sua biografia, apenas algumas informações básicas, para que o leitor se situe, porque não importam, aqui, as suas contradições e dificuldades. Celebremos, apenas, o que ela deixou de alegria e de desafio aos costumes, como uma mulher que, certamente, provocaria ainda hoje muitos terremotos na cabeça dos moralistas.

BETTIE PAGE

(22 de abril de 1923 – 11 de dezembro de 2008)



Bettie, modelo estadunidense que se tornou famosa na década de 1950 por fotos de temática pin-up e fetichista, é frequentemente chamada de "Rainha das Pin-ups". Seu visual, cuja marca registrada eram os cabelos pretos lustrosos e uma franja, influenciaram dezenas de artistas.


Page foi também uma das primeiras "Playmates do Mês" da Playboy, aparecendo na edição de janeiro de 1955 da revista. Investiu também no mundo da moda: criou seus maiôs e bikinis e a tanga clássica de oncinha.


O final de sua vida foi marcado por depressão, mudanças violentas de ânimo e vários anos de internação em um hospital psiquiátrico público. Em 1959, ela se converteu ao cristianismo e posteriormente trabalhou para Billy Graham.


Após anos de obscuridade, ela presenciou uma retomada de sua popularidade durante a década de 1980 e, nos anos 90, Hugh Hefner arrumou um advogado para Bettie, que a ajudou a ganhar dinheiro com os direitos de sua imagem em diversos produtos e revistas que, até aquele momento estava sendo usada indevidamente, fazendo com que ela ganhasse mais dinheiro na velhice do que a época em que era jovem, proporcionando a Bettie uma vida confortável em seus últimos anos.


De acordo com o amigo de longa data e agente de negócios Mark Roesler, Page foi hospitalizada em estado crítico, em 6 de dezembro de 2008, após sofrer um ataque cardíaco do qual não recobrou a consciência e entrou em coma. Faleceu aos 85 anos, em 11 de dezembro de 2008, de pneumonia.


Ela está enterrada no Westwood Village Memorial Park Cemetery. Sua lápide lista o nome dela como "Bettie Mae Page" e inclui a legenda "Rainha das Pin-Ups".





Nenhum comentário: