segunda-feira, 25 de abril de 2016

NUDEZ DE MÃES COM SUAS FILHAS

(A. não identificado)

A famosa sabedoria popular diz que, se você quer saber como será sua esposa quando mais velha, olhe para sua sogra. Bem, não sei se isso é totalmente verdade, embora não se possa negar a força da genética. Há, porém, fatores que pesam contra e a favor dessa “regra”, como circunstâncias de vida, alimentação, número de filhos, cuidados pessoais etc. Talvez, como regra absoluta, esse dito popular não seja assim tão correto. Vamos ficar na média, ou melhor, num ponto qualquer em cima do muro: há alguma possibilidade de que sua mulher fique igual à sua sogra. Se sua sogra é uma senhora cuja aparência lhe agrade, torça a favor... Se não, paciência. Ou procure dar uma boa circunstância de vida à esposa, para que ela se cuide, como, aliás, todos devem se cuidar, para chegar com saúde, disposição e qualidade de vida à velhice. De qualquer modo, aí estão algumas mulheres mais velhas, e corajosas, que se deixaram fotografar nuas juntamente com suas filhas. Assim você pode avaliar se a sabedoria popular mais acerta ou mais erra.




















(Fotos da internet, sem indicação de autoria)


segunda-feira, 18 de abril de 2016

QUEBRANDO TABUS: CHUPAR UM PAU PODE E DEVE SER PRAZEROSO





Embora haja uma (saudável, acredito) proliferação de filmes adultos, com mulheres fazendo longas sessões de sexo oral em seus parceiros, ainda há uma certa desinformação com relação a essa prática entre casais. Primeiro, é preciso esclarecer que o sexo dos filmes é um sexo profissional, isto é, executado por pessoas que vivem disso e dispõem de técnicas diversas, além do fato de as tomadas são interrompidas e repetidas muitas e muitas vezes, o que torna o sexo muito mais mecânico. Segundo, pelo menos é minha opinião, o sexo oral deve dar mais prazer a quem o pratica do que a quem o recebe. Portanto, se você pretende fazer sexo oral em seu parceiro, certifique-se de que realmente isso lhe será prazeroso. Por mais que o homem aprecie ter seu pênis devidamente chupado, lambido, beijado, se isso não lhe agrada, é melhor conversar e, até mesmo, não fazer.


De qualquer modo, chupar um pau, que parece uma tarefa simples, pode não ser assim nem tão simples mas também nem tão complicado que não se possa aprender, para evitar insucesso ou certos constrangimentos de parte a parte. Por isso, o artigo abaixo pode esclarecer algumas dúvidas, não deixando nunca de pensar que, acima de qualquer técnica, está necessariamente o prazer. Todas as ilustrações são de Julius Zimmerman


SEXO ORAL: SEGUNDO ESPECIALISTAS, É POSSÍVEL APRENDER TÉCNICAS E MELHORAR A PRÁTICA



A partir de novembro, em Salvador (BA), o grupo Mundo da Intimidade oferecerá um curso com objetivo de desmistificar o sexo oral. “As aulas serão voltadas principalmente para a área técnica, não só prática. Diversos especialistas vão lidar com o assunto: sexóloga, urologista, fonoaudióloga e terapeuta sexual, para trabalhar traumas e problemas”, explica Aline Castelo Branco, sócia da empresa. “A mulher tem que ter a autoestima elevada, ter a consciência daquele momento”, diz.


Rozana Rezende, sex trainer que dá cursos de Goiás ao Rio de Janeiro, explica que é muito procurada por mulheres que querem aprender mais sobre sexo oral. “A maioria das mulheres têm dificuldades em ter uma boa qualidade de vida sexual, pois nunca ensinaram pra gente como funciona”, comenta.




A profissional conta que o maior problema é o preconceito em torno do sexo oral, o que dificulta a busca por boas informações. Para Rozana, tudo que é relacionado à vida sexual tem que ser tratado com seriedade e sinceridade. “Muitas mulheres se sentem desconfortáveis para fazer [sexo oral] no parceiro. Cursos são importantes para saber como funciona o corpo e, desse jeito, proporcionar e receber prazer”, diz.


Para a educadora sexual e diretora do Instituto Kaplan Maria Helena Vilela, uma coisa é certa: a principal busca da atividade sexual é a o sentimento de gratificação. “O sexo prazeroso é aquele que atende as necessidades de estímulo do outro”, explica.




Mas na hora H, existe um certo e errado? “Todo mundo tem as suas preferências e sensações em determinadas áreas do corpo. É uma questão subjetiva de cada um”, define Maria Helena. Apesar disso, existem alguns cuidados e dicas que podem ser postos em prática.




Segundo os especialistas, existe um fator muito importante que é esquecido na hora do sexo: o diálogo. É imprescindível que os parceiros conversem e descubram do que gostam e do que não gostam. “Esse conhecimento tem que vir antes do sexo, na hora não é legal fazer um questionário”, aconselha Maria Helena.


Para Rozana, a maior preocupação que a mulher deve ter antes do sexo oral é a higienização. É importante escovar bem os dentes e deixar a região bucal limpa para o ato. “As mulheres não têm muita informação da acidez da língua e de como ela pode machucar o órgão do parceiro”.  Mas a  higienização tem que ser dos dois lados, tanto da mulher quanto do homem. Lavar a região genital é obrigatório.


“A intimidade com o órgão é uma das primeiras dificuldades, uma vez que a mulher passou a vida aprendendo que era uma coisa suja. Ela já vai com medo, é preciso quebrar essa ideia”, conta Maria Helena.


Não precisa ter pressa. Calmamente, massageie, acaricie, aperte levemente, roce e fique muito atenta nas reações que isso causa no seu companheiro. Peça para ele dizer do que gosta.


Uma dica para eles é deixar que a parceira descubra os pontos de prazer. Jamais segure a mulher pela cabeça e guie com força: isso dá a impressão de que ela está fazendo errado e pode acabar com o clima ali mesmo.


Maria Helena aconselha encarar o pênis como uma fruta a ser experimentada. Esse é um momento erótico para ambos e deve ser apreciado. Escolha o momento para olhar nos olhos do parceiro e veja como ele reage. A melhor parte do sexo oral é a descoberta em conjunto dos corpos e sensações.


Para brincar com sensações, experimente usar produtos eróticos que esquentam e esfriam, mas mantenha qualquer produto longe da glande (cabeça do pênis). Se não tiver esses produtos em casa, escolha o champanhe. Tome um gole e deixe na boca. As borbulhas causam uma sensação refrescante e prazerosa.


O aconselhável para qualquer prática sexual é a utilização de camisinha. Porém, por não ser um costume muito difundido no sexo oral, a educadora sexual Maria Helena Vilela recomenda que o esperma liberado na ejaculação não seja engolido pela mulher. “Caso o homem tenha alguma doença sexualmente transmissível, a permanência do esperma contaminado por muito tempo no organismo pode causar infecção”, diz.


Uma das técnicas mais faladas é a garganta profunda, com uma colocação de uma maior parte do pênis na boca. Apesar de prazerosa, ela pode apresentar algumas dificuldades, principalmente pela ânsia. Rozana aconselha não abrir muito a boca e Maria Helena diz que a perfeição vem com o tempo. “É uma questão de prática, de tentar encontrar o seu ponto limite. Com ajustes e treino, vai encaixar naturalmente”.


Embora as dicas sejam bem-vindas, não existe uma técnica secreta e única para o prazer. É do companheirismo e da descoberta em conjunto que vai crescendo a libido. “Você deixa de fazer as coisas só para você e faz para vocês. O relacionamento se torna mais permissivo quando o objetivo principal é agradar e ser agradada”, finaliza Rozana.





Fonte:




segunda-feira, 11 de abril de 2016

NUDEZ, SWING E SACANAGEM NUMA SAUNA... EM LONDRES





(Rio's Relaxation Spa em Kentish Town, North London)



Para saciar a curiosidade de pessoas que não têm coragem ou condição ou possibilidade de frequentar um ambiente de sacanagem, publico a reportagem abaixo. A sauna fica em Londres, não há nenhum registro fotográfico de seu interior, por motivos óbvios de proteção de seus frequentadores. Assim, recorri aos meus ilustradores favoritos, de várias épocas (alguns não identificados), para quebrar um pouco a possível aridez do texto, escrito e publicado em fevereiro de 2015. O autor é John Lucas e a tradução, de Marina Schnoor. A fonte está citada no final. Divirta-se (ah, sim, editei só um pouquinho o texto):


COMO É UMA NOITE NA PRINCIPAL SAUNA DE SWING DE LONDRES




(Constantin Somof)


Um cara turco se levanta, o pau duro apontando para frente como uma varinha de condão. Os amigos dele comemoram, como se aquela ereção fosse digna de algum prêmio. Uma da manhã na principal jacuzzi do Rio's Relaxation Spa em Kentish Town, Londres. A noite dos casais vai das 19h até 0h, mas parece que o swing ainda está a pleno vapor, com três casais transando na água e oito – talvez nove – caras curtindo as bolhas e fingindo não ver nada.



(Constantin Somof)



O Rio's, que fica a 10 minutos de caminhada de Camden High Street, já é uma velha piada sobre noitadas londrinas de embriaguez ("Acabou no Rio's, né?"), mas provavelmente é um lugar mais falado que visitado. Com sua fachada icônica e um tanto brega, as fotos de palmeiras e praias não combinam muito com a localização urbana encardida do spa, mas a maioria acredita que o "relaxamento" oferecido não se limita às saunas e banheiras – que todas as massagens ali têm final feliz.




(Constantin Somof)



O que realmente acontece quando você visita o Rio's é o seguinte: você vai até uma pequena janela na recepção onde paga uma taxa de entrada (£ 21, cerca de R$ 93, para homens desacompanhados; £ 8-£10, de R$ 35 a R$ 44, para mulheres desacompanhadas, e £ 21-27, R$ 93 a R$ 120, para casais, dependendo da hora do dia) e recebe uma toalha e a chave de um armário. Depois de ser rapidamente revistado pelo segurança, você passa por uma porta pesada. Aí você tira toda a roupa num dos vestiários extremamente básicos e entra no clube pela sala de TV. Aqui a estética da fachada vai ainda mais longe; painéis de mogno, plantas de plásticos empoeiradas e arte "erótica" estilo anos 60 nas paredes.



(Denis)


Os primeiros vislumbres de nudez acontecem aqui, onde gente pelada se deita em espreguiçadeiras de plástico para assistir ao futebol ou a filmes. Há uma estranha desconexão entre os blockbusters infantis na TV HD e a grande quantidade de pelos e genitálias exibidos casualmente no local. Mas quando entra no corredor oblongo com jacuzzis e várias saunas com iluminação fraca azulada, você percebe que a tensão entre a atmosfera estranhamente familiar e amistosa e a promessa de sexo que paira no ar é o que torna o Rio's especial.



(Autor não identificado)



O público noturno é diverso. São clientes afro-caribenhos, turcos, russos, gregos, japoneses e indianos usando toalhas brancas enroladas na cintura ou – mais frequentemente – nada.



(Eugene lPoitevin)



Vamos falar sobre nudez. O clube tem uma política inteiramente naturista na maioria das noites. Chegando lá, você vai ver uma miscelânea de pintos (moles e duros), vaginas e bundas – alguns mais atraentes que outros. Isso é desconcertante nos primeiros minutos, como se você tivesse entrado num mundo atrás do espelho onde, por alguma razão, todo mundo decidiu tirar a roupa e fingir que é normal. Mas você se acostuma rápido, do mesmo jeito que se acostuma com a luz fraca.




(Denis)



A sala principal tem uma grande jacuzzi para 20, talvez mais, pessoas e uma piscina. O teto de madeira alto e branco dá uma sensação de clube. E é estranhamente relaxante se recostar na beirada da banheira, curtir as bolhas e observar as pessoas. A vibe aqui é social e a maioria dos clientes sabe não ultrapassar os limites. Mas um cara gigantesco, com a pele flácida esticada por cima da barriga estufada – os peitos balançando de um lado pro outro – se senta perto de um casal grego bonito que acabou de chegar. O cara fica olhando furtivamente para a garota. Ela nota e parece irritada. Um movimento discreto do ombro sugere que ele está se masturbando embaixo d'água. O cloro na água é de fazer arder os olhos – melhor assim.




(Eugène Reunier)



"Você tinha que ver isso aqui 20 anos atrás – tinha muito mais ação", segundo Jim, um cara do nordeste da Inglaterra com quem converso na piscina.  "Mas você ainda consegue ver alguma coisa. Tinha um cara russo que vinha aqui sempre com a namorada. Ele tinha uns 70 anos e era rico; ela tinha 25 e era muito gostosa. Ele descia para o andar de baixo para uma massagem de 90 minutos, e ela se divertia enquanto ele estava fora. Não tem como saber quantos caras passavam por ela na sauna. Ela era esperta – marcava o tempo certo, então o cara nunca descobriu."




(A. não identificado)



Certamente dá para se divertir muito aqui, se você chegar na hora certa e saber onde procurar. Atrás da piscina, um corredor iluminado por luzes vermelhas leva ao jardim. No caminho há três ou quatro salas privativas, com cama e dispenser de papel na parede. Cartazes na parede avisam para não entrar sem ser convidado se a porta estiver fechada, mas às vezes nem é preciso tentar. À noite, homens e mulheres desacompanhados se sentam nas camas com as portas abertas, olhando convidativamente para quem passa.



(Louis Icart)


De acordo com um cara parecido com o Vladimir Putin de sunga, para maximizar suas chaves de diversão adulta você precisa chegar como um casal. "É importante chegar cedo. Com uma garota. Não importa se ela é feia. É importante trazer alguém para poder transar com outras garotas", ele aconselha, romanticamente.



(Peter Fendi)



Vlad vem aqui toda semana. Ele tem sorte na maioria das visitas, mas nada é garantido. "Às vezes, sexo, sim – às vezes não. Você tem que tentar. É melhor chegar com uma garota bonita."



(Peter Fendi)


"Conheci minha esposa aqui 20 anos atrás", me confidencia o velho do nordeste da Inglaterra. "Ela tem um dos maiores talentos que uma mulher pode ter: ela não tem reflexo de engasgo. Nos damos muito bem. Temos um acordo. Adoro ver ela chupando outros caras. Tinha um cara marroquino que vinha toda semana. Ele era feio de doer, mas tinha um pau enorme. Era incrível ver como ela fazia aquela coisa desaparecer."



(Serpieri - Druuna)


Para um swinger de longa data como ele, você poderia achar que o Rio's é o um paraíso, um oásis celestial nas ruas cinzas de North London, com seu clima safado de festa da toga, sorrisos, brasileiras de topless e garçonetes polonesas. Mas lá pelas 3h, as escolhas são escassas – apenas alguns casais que não parecem particularmente inclinados e uma legião de caras babões, incluindo o punheteiro da piscina. Até o Vlad deu o fora. Quando vejo meu novo amigo Jim sentado com o queixo apoiado nas mãos, olhando desconsolado para o chão, fico pensando se o estilo swing realmente o faz feliz.



(A. não identificado)


Enquanto me troco no vestiário para sair às 4h, um grupo de cinco caras chega vindo da balada, empolgados por estarem aqui e prontos para a ação. "Quantas minas estão lá dentro, cara?", um deles pergunta. Não tenho coragem de dizer que eles chegaram muito tarde. "Um monte. Vocês vão se divertir pacas."



(Suzanne Ballivet)


Sexo comunal em banheiras públicas altamente cloradas pode não fazer o estilo de todo mundo. Mas nessa época de gentrificação e puritanismo na nossa outrora grande capital, o charme peculiar do Rio's é algo a ser celebrado.



(Vittorio Giardino)



Fonte: