segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

A MAIS BELA BOCETA DO MUNDO: O QUE HÁ POR TRÁS DESSE TIPO DE CONCURSO - ALGUMAS CONSIDERAÇÕES



A TIRANIA DOS PADRÕES DE BELEZA DA VAGINA

(16º lugar: Cleo, 21 anos; Amsterdam - nota 6,4)


Enquanto o Vagina Beauty Pageant é, indiscutivelmente, pouco mais do que um golpe publicitário para um fabricante de brinquedos sexuais, os críticos do concurso argumentaram que é parte de uma longa tradição propagar padrões de beleza irrealistas para as mulheres. Afinal, em um mundo onde as mulheres são condicionadas a se sentir mal sobre si mesmas, com relação a coxas, bundas, barrigas e estrias,  será que nós realmente precisamos começar a julgar vaginas também?



(35º lugar: Lulu Cheng, 37 anos; Taiwan - nota 6,1)


Há um evidente exagero na premissa de que, se houve um concurso para encontrar a mais bela vagina, é porque existem pessoas interessadas em determinar, com base na aparência, um padrão de beleza para essa parte do corpo feminino, como sempre houve em relação à aparência das mulheres, o que as torna mais auto-conscientes de seu poder de sedução.



(58º lugar: Francine, 51 anos; Nova Iorque, nota 5,6)


Enquanto isso, graças à ampla disponibilidade de pornografia na Internet, um número crescente de mulheres se sente auto-consciente sobre suas vulvas - e elas estão recorrendo a medidas extremas para "consertar os defeitos" por acaso encontrados. Em 2013, mais de 5.000 mulheres americanas fizeram  labiaplastia, uma cirurgia cara, que remove a pele dos pequenos lábios, resultando em uma aparência suave, compacta, tipo Barbie, semelhante à boceta da Nell, a ganhadora do concurso (ver o post anterior). De acordo com a Sociedade Americana de Cirurgia Plástica e Estética, o número de cirurgiões que executam labiaplastias passou de 21% para 29% apenas em 2013, e os procedimentos aumentaram 44% no mesmo ano.



(181º lugar: Mari Cooper, 31 anos; Michigan, nota 2,9)



Os dados do "Vagina Beauty Pageant" apoiam a ideia de que a "Barbie" tornou-se o padrão para belas vulvas em nossa cultura. De acordo com o levantamento, houve uma ligeira preferência por bocetas com "pequenos lábios [que] não se projetam e são suaves."



(182º lugar: Rosa, 38 anos; Florida, nota 2,8)


Uma visita à página do concurso que exibe o  ranking de todas as vencedoras confirma essa ideia. Enquanto as vaginas em exposição são pouco variadas em sua aparência física - poucas apresentam clitóris diferentes e muito poucas têm pelos pubianos visíveis -, todas elas são bem lisas e livres de quaisquer imperfeições epidérmicas. São o que se pode chamar de "bocetas de grife".



(20º lugar: Odette Dlacroix, 25 anos; Los Angeles, nota 6,3 - a única que mostrou o rosto)


É óbvio que o tal concurso foi um golpe de relações públicas, um golpe barato e hediondo em sua propagação de padrões de beleza irrealistas para as mulheres, mas uma questão interessante permaneceu:  há realmente um conceito de beleza vaginal universal a todos?




(11º lugar: Stepánka, 24 anos; República Checa, nota 6,7)



Claro que não, e os investigadores aproveitaram o excesso de dados que brotaram da competição para confirmar isso. Em um estudo incrivelmente profundo,  que olhou para os milhares de votos, os pesquisadores mediram os cumprimentos dos pequenos e dos grandes lábios e dos capuzes dos clitóris e avaliaram a rugosidade das vaginas.


(49º lugar: Andrea, 27 anos - Michigan; nota 5,8)


"Lloyd et al. [um estudo de 2005] afirmaram que a genitália feminina tem uma grande diversidade, que é mal documentada", o que a equipe confirmou: "Nosso estudo fornece evidência extra e confirma que tal diversidade é ampla a respeito do tamanho dos lábios, protuberância, e rugosidade. Também fornece evidências de que tanto as vulvas simples, lisas, com lábios pouco protuberantes,  quanto as mais complexas, mais rugosas, com lábios protuberantes têm uma percentagem quase igual de admiradores."



(21º lugar: Suzy, 41 anos - Kansas; nota 6,3)


Então, apesar de todas as expectativas sobre os órgãos genitais femininos, em relação a padrões estéticos, o que se pode concluir é que existem bocetas de todas as formas e tamanhos, e todos elas, independentemente de julgamento estético, são devidamente apreciadas.



(22º lugar: Coralyn Jewel, 38 anos; California, nota 6,3)

Fontes:







Nenhum comentário: