segunda-feira, 10 de agosto de 2015

AS TELAS QUENTES DO EROTISMO EXPLÍCITO 7 - STU MEAD (1955)




(First communion)

Stuart "Stu" Mead nasceu em Waterloo, Iowa em 1955, é um artista americano que vive e trabalha em Berlim, Alemanha. Estudou arte na Universidade de Northern Iowa, antes de se mudar com os pais para a Inglaterra em 1975.


(After school)

O trabalho de Mead inclui pintura, desenho, gravura, e a produção de zines e livros de arte e inspira-se na cultura popular, como quadrinhos, cartões postais e desenhos que aparecem nas revistas masculinas baratas dos anos 1950 e início dos anos 1960.




Sua arte tem chamado a atenção de um público underground, com exposições de suas pinturas em galerias de todo o mundo há mais de vinte anos. Seus trabalhos de arte abrangem uma terra de fantasia e de erotismo em que as mulheres jovens são incorporadas a cenários bizarros que transcendem gêneros e  fetiches.





Seu trabalho explora tabus com uma mistura de sexualidade e humor que atingem limites a que poucos artistas ousam chegar. Brinca com temas que vão desde o feminismo até a insegurança das adolescentes na descoberta do sexo, com a sagacidade impertinente que é sua marca registrada.




Mead cita Picasso e Balthus como sua maior influência artística. Outra influência é o livro de Bruno Bettelheim "The Uses of Enchantment", que explora contos de fadas obscuros dos Irmãos Grimm de um ponto de vista psicológico freudiano. A análise de Bettelheim de contos populares, e seu uso de arquétipos simples e poderosos, para provocar respostas emocionais profundas, vem ao encontro dos esforços de Mead para criar imagens que envolvem o espectador imediata e emocionalmente.




Em abril de 2004, durante uma exposição coletiva chamada "Quando o amor vira veneno", realizada no Kunstraum Bethanien, em Berlim, sua pintura "Primeira comunhão" foi destruída por um vândalo obcecado por religião. A exposição, de oito artistas, tornou-se um escândalo nacional, com jornais conservadores declarando que aquilo era pornografia  e não arte.


(Savage-religion)





Nenhum comentário: