segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

AS "NOVAS" SEXUALIDADES - A FAMÍLIA HUMANA







Estereótipo social: as mãos que se entrelaçam, na união civil ou religiosa, para formar uma família - a que recebe, forte, máscula (do homem) e a que busca o aconchego, suave, feminina (da mulher).






E agora? De quem são as mãos que se buscam, que se completam, que se apoiam mutuamente e se unem, com ou sem união civil ou religiosa?





Despudor ou amor?






Amor ou despudor?


A FAMÍLIA HUMANA ESTÁ MUDANDO?



(Família naturista)


O subtítulo desta matéria deveria ser uma afirmação. Mas, é uma pergunta. Por quê? Porque acho que a família humana não está realmente mudando. Ela está mostrando publicamente - e discutindo publicamente - outras formas de constituição desse núcleo social básico, que denominamos família.



(Mothers Catriona Cathy)


A família humana sempre foi múltipla, complexa, com nuances impensáveis. Apenas, no entanto, a família tradicional, constituída de homem (macho), mulher (fêmea) e filhos era a que predominava de forma absoluta não só no imaginário, mas impunha seus valores através da força da tradição, principalmente a tradição religiosa - e fundamentalista.



(Britains first gay dads- Barrie and Tony Drewitt-Barlow pictured with their twins Saffron and Aspen)



Não posso provar a afirmação acima, somente intuí-la. Por um motivo simples e lógico: costumes não surgem, assim, de repente, num estalar de dedos. As "novas sexualidades", constituídas por gays, lésbicas, bissexuais, transexuais e tantos outros gêneros que se possam arrolar, não são assim tão novas: sempre existiram, desde que o ser humano surgiu na Terra. Reprimidas, tiveram raros momentos para se manifestar.



(Pederastia en la antigua grecia)


Portanto, a gritaria fanática dos conservadores pela definição de família como o agrupamento constituído apenas por homem, mulher e filhos, refugando todas as demais possibilidades humanas, é só isto e nada mais: gritaria de conservadores, que não querem aceitar a humanidade como ela sempre foi, é, e será: de múltiplos gêneros, de múltiplas sexualidades.



(Milo Manara - história da humanidade)

Nenhum comentário: