segunda-feira, 11 de novembro de 2013

O CLITÓRIS, ESSE (QUASE) DESCONHECIDO




(A. não identificado)


A sexualidade humana tem sombras ainda não muito bem esclarecidas pela ciência. Uma delas é a função do clitóris. E a discussão parece-nos permeada por aspectos às vezes mais ideológicos e políticos (no sentido de defesa de posições feministas ou não), do que racionais e puramente experimentais. Embora a maioria dos sexólogos e outros cientistas afirmem que sua função seja apenas a do prazer, vamos apimentar um pouco essa discussão, com a visão - digamos - mais feminista ou feminina, de Catherine Blackledge, autora de "A história da V - abrindo a caixa de pandora":


POR QUE O CLITÓRIS É ESSENCIAL


(A. não identificado)



O clitóris todo, desde sua majestosa coroa ultrassensível, através de seu glorioso corpo até a extremidade de seus elegantes ramos é um órgão que implora por mais apreciação e entendimento do que faz. Para mim, a função do clitóris é dupla, envolvendo o prazer sexual e a reprodução, dois papéis cruciais e inseparáveis um do outro - em ambos os sexos. [...]
Primeiro, o prazer sexual.


(Hanz Kovacq)

A excitação sexual da mulher, como a do homem, pode ser provocada por uma variedade infinita de estímulos. A visão ou o cheiro de um parceiro em particular, a lembrança de encontro erótico, todos os tipos de toques, diretamente na genitália ou em qualquer outra parte do corpo, sabores e sons, tudo isso pode disparar a inundação do clitóris por sangue, o que prenuncia o início da excitação genital.



(Fameni Leporini)


Ademais, a maneira pela qual o clitóris da mulher, ou tecido de corpos cavernosos, se ingurgita de sangue e entra em ereção reflete o mecanismo que ocorre no homem (razão pela qual o Viagra também funciona em mulheres). Quando uma mulher não está excitada, as células musculares de seu tecido clitoridiano ficam contraídas e o sangue entra e sai livremente de seus vasos sanguíneos (sinusoides). Entretanto, basta apenas um sinal, um mensageiro químico sob forma de um ou dois neurotransmissores liberados pelos nervos da mulher em resposta à excitação sexual, para que se relaxem. Com o relaxamento da musculatura lisa, os vasos se dilatam e expandem, e o sangue fica preso nas cavidades sinusoidais entre as células lisas. O resultado é uma ereção - um clitóris cheio de sangue, ingurgitado e deliciosamente sensível.


 [...]

(Jeff Faeber - Ms Stripey socks)


A fim de aumentar a sensibilidade erótica e atuar como um disparador da excitação e do orgasmo, a genitália feminina externa, exatamente como a genitália externa no homem, possui uma infinidade de receptores sensoriais múltiplos e ricamente dotados de nervos sensitivos. Atribui-se apenas à coroa clitoridiana uma concentração de fibras nervosas maior que qualquer outra parte do corpo humano.


(Milo Manara)


O clitóris e os lábios, em especial, estão repletos de células sensoriais especializadas chamadas corpúsculos de Meissner e de Pacini. O papel dos corpúsculos de Pacini, encontrados também na camada subcutânea das unhas, dos seios e da bexiga, é o de detectar modificações de pressão. Os corpúsculos de Pacini podem responder muito rapidamente, o que os torna muito bem sintonizados com sensações de vibração ou de variação.

[...]


(Milo Manara)



Os corpúsculos de Meissner são muito menores e se concentram próximos da superfície da pele. Seu papel é de responder aos mais leves dos toques e, o que não causa surpresa, também se encontram nas palmas das mãos e nas solas dos pés, bem como na língua e nos mamilos. Essas células sensoriais são especializadas em captar vibrações de baixa frequência e têm uma estrutura ovoide dentro do qual as terminações nervosas se ramificam e orientam paralelamente à superfície da pele. Outras estruturas nervosas clitoridianas incluem os bulbos terminais de Krause e os corpúsculos de Ruffini. Trabalhando de maneira coordenada, essa enorme quantidade de células sensoriais contribui para um sistema genital externo extremamente sensível, afinado para responder instantaneamente ao toque, à vibração e à pressão, venham elas sob forma de beijos, de carícias ou de toques.



(Milo Manara)

[...] o clitóris feminino é essencial para assegurar uma reprodução bem sucedida. Qual é a minha proposta? Bem, consideremos o papel do clitóris do homem, ou corpos cavernosos. Sem um clitóris incrivelmente sensível, o pênis de um homem nunca conseguiria ficar, e permanecer, duro a ponto de conseguir uma penetração segura, não lesiva na vagina de uma mulher. De maneira idêntica, o clitóris de uma mulher prepara a genitália para aceitar, e manter, o pênis dentro de si, em segurança. Ou seja, os clitóris de ambos os sexos preparam seus genitais para façanha surpreendente de transferir e aceitar gametas sem que ocorra violência física ou infecção. Pois a relação sexual - o ato íntimo de envolver um órgão dentro de outro - é, fundamentalmente, um negócio potencialmente muito arriscado e perigoso. [...] Sexo sem excitação, sem o envolvimento íntimo do clitóris, deixa uma ferida (literalmente) entre as pernas da mulher e uma porta aberta a infecções frequentes, doenças, e também morte.


(Milo Manara)



Nenhum comentário: