segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

VOCÊ, MINHA AMIGA, JÁ USOU UM BABY DOLL?


.




Este post é dedicado às mulheres que, digamos, um pouco mais velhas, já usaram, para dormir, o famoso BABY DOLL. E também aos homens que tiveram o prazer de ter uma companheira que se lhe apresentou, à cama, vestida com um BABY DOLL, antecipando, para ambos, os deliciosos prazeres de uma noite mais quente.



E de onde vem essa deliciosa peça do vestuário feminino?





(Carrol Baker no filme Boneca de Carne)

Em 1956, um filme chamado "Baby Doll" (no Brasil, "Boneca de Carne", direção de Elia Kazan e roteiro de Tennessee Williams) causou furor. A atriz - Carrol Baker - usava um "baby doll pijama", ou seja um "pijama para boneca", porque foi concebido, na Inglaterra, em 1756 (já é velhinho, portanto), como uma camisola para as crianças, acredito que ambos os sexos.




(Brooke Shields)
Adaptado para a mulher adulta, como uma camisola mais curta, ganha o baby doll, com o tempo, leveza e um toque de sedução e erotismo. O que justifica, com certeza, a aura de fetiche que possa envolvê-lo.





(Carrie Bradshaw)

Dizem os estilistas que a roupa "fala", ou seja, envia mensagens. Lembro-me de um episódio do seriado "Sex and the City" em que a personagem de Sarah Jessica Parker, Carrie, sai de uma sessão de fotos para encontrar o namorado, o misterioso Mr. Big (Chris Noth), usando o mesmo vestido das fotos e é literalmente "atacada" por ele. Ela, então, conclui que estava vestida de "quero dar pra você".





Portanto, as feministas que me perdoem, mas uma mulher que sai do banheiro, para dormir com seu homem, vestida com um baby doll, passa a clara mensagem: "hoje eu quero muito dar pra você".  Porque, realmente, é uma deliciosa camisola de "dormir", o BABY DOLL.










FELIZ 2013



Para encerrar o ano, quero desejar aos amigos dessa "LUA QUEBRADA" tudo aquilo que todos desejam a todos nesta data: felicidades, amor, dinheiro etc.

E quero encerrar o ano com um beijo. Podia ser um beijo entre dois homens ou entre duas mulheres ou entre quaisquer gêneros - que, aqui, preconceito não entra.


Mas, vou encerrar com um BEIJO que, para mim, seja o símbolo de um desejo antigo de todos nós, desejo nunca realizado - embora sempre renovado: O DESEJO DE PAZ!


Assim, meus amigos e minhas amigas: renovem-se as esperanças da humanidade, desejando que nos beijemos muito, muito, mas nunca mais para comemorar o fim de uma guerra.






FIM DE 2012/FELIZ 2013




segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

AH, SIM: BOM NATAL!








UM PRESENTE DIFERENTE


UM DIPLOMA





Sim, um diploma!

Se você quer dar um presente diferente à sua amada, pode dar-lhe um diploma.

De quê?

Ora, um diploma de "a mais bela boceta"! 

E custa barato: apenas 5 euros.




Basta entrar neste site:


Clique em:

Personnaliser mon diplome. (Personalizar meu diploma)



(Foto s/indicação de autoria)


Escreva no lugar indicado o nome de sua amada e seu e-mail. Em seguida, use seu cartão de crédito para efetuar o pagamento e... pronto! Sua namorada receberá o seu diploma "DE LA PLUS BELLE CHATTE" (a mais bela boceta), com a chancela do Ministério da Juventude, da Educação e da Pesquisa... da França!






segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

CIDA PEDROSA, UMA "SUICIDA" COM MUITO FOGO







Cida Pedrosa. Poeta e advogada. De Bodocó, Pernambuco, participa do grupo denominado "escritoras suicidas" (http://www.escritorassuicidas.com.br/).

Além da participação na antologia "Dedo de moça", desse grupo, tem publicado seus poemas e textos em várias antologias, desde 2005, e em edições próprias, como Restos do Fim (1982); O Cavaleiro da Epifania (1986);   Cântaro (2000); Gume(2005), todos em edição da autora e As Filhas de Lilith (Rio de Janeiro: Calibán Editora, 2009).

Tem textos traduzidos para o francês e o espanhol, e publicações espalhadas na internet e em jornais mundo afora.

Alguns exemplos da poesia de Cida Pedrosa, com ilustrações de Fameni Leporini (1885 - ?):


Milena






gosto quando milena fala
dos homens
que comeu durante a noite

é a única voz soante
nesta cantina de repartição

onde todos contam:
do filho drogado do preço do pão
do sapato carmim, exposto na vitrine
da rua sicrano de tal do bairro
de casa amarela
onde você pode comprar
e começar a pagar apenas em abril

sem a voz de milena
o café desce amargo



prazer







o diabo faz cócegas em meus pés
enquanto abro as pernas

e deus alisa meus cabelos
enquanto grito ao teu ouvido  



kelle





que seja feita
a vossa vontade
entre as pernas de kelle
e o silêncio da gruta

que venha ao nosso retiro
a cama desfeita
a diabrura dos dedos
o suor das roupas
e a boca de kelle

que nos dê hoje
o desejo e a festa
a boca e o pênis
o pão e a boceta
e a vontade de kelle

que seja feita a vontade de todos
na fogueira do corpo



segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

DO HELL ON HELLS OU O INFERNO DE SALTOS








Só as poderosas!
Só as fetichistas!
Só as garantidas!


(Foto de autoria não identificada)

Desde o coturno veneziano da Renascença – aqui nascia o sapato de plataforma – até o saltinho de cristal das putas Cinderelas de então, o salto alto é a delícia e o prazer de nós todos.

(Madonna - foto de Steven Meisel)

Elas nos pisam machucando com jeitinho, tanto para a agonia como para o êxtase, como nos sopra Ann Magnuson. Elas nos achacam com salto-agulha, elas nos ameaçam, o sapato como arma e símbolo de poder, o sapato mata.

(Foto de autoria não identificada)

Pode ser também uma linda bota à Valentina, aquela deusa que saiu da costela de Crepax!

(Valentina - Guido Crepax)

Os saltos que pisam os nossos telhados; e os saltos que deixam goteiras nas nossas existências.

(Foto de Helmut Newton)



(Catecismo de Devoções, Intimidades e Pornografias - Xico Sá)