segunda-feira, 16 de julho de 2012

SEIOS





Emílio de Menezes (Curitiba, 4 de julho de 1866  Rio de Janeiro, 6 de junho de 1918), poeta, boêmio e grande piadista, estava numa festa e a anfitriã, uma senhora com um imenso decote, virou-se para ele e perguntou: - O senhor sabe quais são os encantos da mulher, senhor Emílio? Ao que ele respondeu, sem pestanejar: "- Sei-os, minha senhora, sei-os!" 


(Sara Varone - fotógrafo não identificado)



Também é dele o seguinte trocadilho infame. Numa outra festa, contemplava o poeta uma reprodução de famoso quadro de Da Vinci, quando uma senhora com imensas mamas e não menor decote aproximou-se:- "Gosta da Ceia do Senhor, senhor Emílio?" A resposta veio na hora, para gáudio dos demais poetas que o cercavam: - "Gosto mais do seio da senhora"!





Bem, piadinhas à parte, pergunta-se: por que os seios femininos exercem tanta atração?





Cantados em verso e prosa, esculpidos, pintados, fotografados... sempre admirados, os seios são, afinal, apenas uma glândula mamária, para amamentação da prole, ou têm função realmente sexual, de atração do macho?





No livro A MULHER NUA, Desmond Morris tenta responder a essa questão. Diz ele:





"Um exame da anatomia dos seios revela que a maior parte de seu volume é constituída de tecido gorduroso, enquanto apenas uma pequena parte é de tecido glandular ligado à produção de leite. A forma arredondada dos seios, resultado do tecido gorduroso, exige uma explicação que ultrapassa sua função de aleitamento. 





Embora seja claro para um biólogo que essa explicação tem a ver com sexualidade, muitas mulheres recusam essa interpretação. Julgam ofensiva a ideia de que alguns aspectos do corpo feminino possam ter evoluído até sua forma atual para atrair o macho. Ignorando o fato de que a atração física está envolvida em sua concepção, elas insistem que os seios têm apenas a função parental e usam sua engenhosidade para encontrar explicações não-sexuais para a forma arredondada dos seios. Assim surgiram sete sugestões:





O tecido gorduroso protege as glândulas mamárias. Isso pode ser verdade durante a lactação, mas não explica o persistente arredondamento dos seios em outros períodos. E também não explica por que as fêmeas de outras espécies primatas não precisam dessa ajuda.






O tecido gorduroso mantém o leite morno. Mais uma vez, isso só é necessário durante a amamentação.





A forma arredondada dos seios os torna mais confortáveis para a alimentação do bebê. Simplesmente não é verdade. Basta pensar no formato de uma mamadeira.





A forma arredondada funciona como um sinal visual que informa aos homens que aquela mulher será uma boa fonte de alimento para a prole. Mais uma vez, não é verdade. 




Mulheres de seios pequenos podem amamentar com mais facilidade que as de seios enormes.






O tecido gorduroso é uma importante maneira de estocar gordura para quando o alimento for escasso. Sim, é verdade, mas por que concentrar esse estoque no peito, já que os seios fartos fazem com que a mulher tenha mais dificuldade para correr? 



O corpo feminino tem uma generosa camada de gordura na maior parte de sua superfície, e essa reserva de gordura dispersa é a maneira mais eficiente de ela se proteger contra a eventualidade de uma fome. Além do mais, a gordura dos seios representa apenas 4% da gordura total do corpo, e é a que diminui menos quando a mulher perde peso.






O tecido gorduroso compensa a falta de uma capa naternal de pelos à qual o bebê possa se agarrar quando se alimenta. Não é verdade. Como qualquer mãe sabe, o bebê tem que ser segurado junto ao seio, e, de qualquer forma, um macio hemisfério de carne dificilmente ajudaria a tornar o mamilo mais acessível.






A forma hemisférica dos seios é, de acordo com um autor, "não funcional, a ponto de ser antifuncional". Quando todas as outras justificativas parentais falham, está é a última saída para aqueles que se recusam a aceitar que a forma dos seios femininos é sexual.





A inevitável conclusão é que a forma hemisférica dos seios não é parental, mas um sinal sexual. Isso significa que teorias que consideram o interesse masculino pelos seios femininos como "infantil" ou "regressivo" não têm fundamento. O homem que reage aos seios de uma virgem ou uma não-lactante está respondendo a um primitivo sinal sexual da espécie humana".




Acho que esse papo merece um aprofundamento. Afinal, numa sociedade em que a mulheres procuram, hoje, melhorar o aspecto de seus seios, através de intervenções cirúrgicas às vezes bastante agressivas, para melhor se apresentarem (a quem, cara pálida?), continuar acusando os homens que apreciam a beleza de um par de seios de "infantilismo" me parece, para dizer o mínimo, incoerente.




Portanto, a viagem aos seios femininos irá continuar...





(A mulher nua - um estudo do corpo feminino
Desmond Morris: [tradução Eliana Rocha] 
- São Paulo, Globo, 2005)


(Fotos da internet, sem indicação de autoria)


Um comentário:

Júllio Machado disse...

Gostei do post, não mais , é claro, que a primeira imagem. Que seios, hein!
Abraços!