sexta-feira, 5 de agosto de 2011

COMENDO COMIDA COM FORMA DE SEXO


Até agora, a ciência não reconheceu nenhum alimento como notoriamente afrodisíaco. Chifre de rinoceronte, mandrágora ou qualquer outra substância comum ou exótica podem até fazer algum efeito, mas só psicológico: a crença estimula a libido, não o alimento propriamente dito.




A verdade é que comer bem, de forma a harmonizar os diversos nutrientes para nosso corpo, é a forma mais saudável de manter o vigor físico e sexual. Ao lado, claro, de exercícios físicos, dentre os quais o sexo talvez seja o mais deliciosamente recomendável.




O mito de que um alimento é afrodisíaco nasceu, quase sempre, a partir do seu formato. A mandrágora, por exemplo: é um dos mais antigos falsos afrodisíacos, porque suas raízes muitas vezes apresentam-se com formato humano, como a ilustração e a foto abaixo:








Assim, muitas frutas e raízes acabaram por ser consideradas estimulantes sexuais apenas por terem formatos que realmente lembram órgãos sexuais (e nem vamos citar bananas, cenouras etc):







Fazem sucesso, por aí, raízes, frutos e outros vegetais que, por uma mutação genética qualquer, nascem com formatos estranhos, que lembram a anatomia humana. Não têm, claro, qualquer relação com a libido, se consumidos, mas muita gente acaba achando que são afrodisíacos. Pura bobagem.







Mas, bobagem mesmo são bolos, doces, chocolates etc. imitando principalmente falos e bocetas, com a finalidade de incrementar a relação erótica. Não sei se consumir alimentos que se parecem com órgãos sexuais torna mas excitante o sexo, mas, com certeza, essas proezas gastronômicas contribuem, sim, com o bolso de confeiteiros espertos:







Não sei qual a graça de consumir, por exemplo, bolos com formatos de vaginas ou com um pênis que esguicha algum tipo de creme:








Fico pensando no prazer que a Sonia teve em deglutir um bolo com este belo espécime fálico feito de massa de bolo e pasta americana, em vez de degustar o próprio, que lhe daria muito mais prazer (ou não?):





Ou, então, o Cláudio soprando as velinhas desse fantástico e bem feito bolo que imita uma vagina, até com os pentelhos, sonhando, talvez, em apreciar ao vivo e em cores a boceta de quem lhe presenteou:




Num casamento, os noivos chegando da igreja e deparando com uma obra de arte erótica, para incrementar ainda mais seus sonhos da primeira noite (que, nos tempos atuais, só tem o nome), com a criançada em volta a soltar risinhos nervosos e de gozação:






E o ritual antropofágico prossegue, com convidados de uma festa a disputar quem ficaria para lamber, chupar, comer ou sei lá o quê, bonequinhos eróticos da fina arte da confeitaria:







Enfim, como há gosto para tudo, deixemos a imaginação das pessoas rolar solta no terreno da arte de unir comida e sexo. Se há gente que gosta de degustar calcinhas comestíveis, chocolates, doces, balas, pirulitos em forma de paus e bocetas, bonequinhos de açúcar cândi que copulam freneticamente, como forma de incrementar seu apetite sexual,  quem somos nós para condenar ou criticar tais práticas?





(Fotos da internet, sem indicação de autoria)




Um comentário:

Anônimo disse...

Adoro comer raízes, morangos, pepino... Tudo que lembra uma pica ou uma buceta bem suculenta...