sexta-feira, 26 de agosto de 2011

A CADEIRA DO AMOR







Eu tenho uma mesa de jantar giratória, dessas cujo centro gira, para facilitar o trabalho dos comensais. Foi o presente de amigo, do interior. Feita de pedra. E esse amigo também tem uma. Além da mesa, tem também três filhos, homens. Uma vez, contou-me ele, encontrou o mais novo no centro da mesa e os outros dois divertindo-se em fazê-lo rodar a toda velocidade.






Veio-me essa historinha, ao encontrar na internet um comercial de venda de uma cadeira erótica, ou “cadeira dos sonhos eróticos”, ou algo assim. Não pude deixar de pensar no casal voltando de um programa a dois e encontrando os filhos se divertindo nesse trambolho.






Uma cadeira que promete realizar todos os seus sonhos eróticos, facilitando posições e incrementando sua vida sexual, mais parece, na verdade, um desses brinquedos de parques de diversão. Na verdade, um playground erótico. Ligada à tomada (onde? no quarto do casal?), com voltagem de 110 e 220, ela permite várias posições, além de girar e fazer uma série de movimentos.






Também fiquei pensando no vendedor: como será que ele vai fazer para demonstrar aos interessados todas as possibilidades do brinquedinho? E mais: o cara que vier montar e instalar. Como será que ele vai fazer para verificar se tudo está funcionando a contento? Vai ele mesmo experimentar, ou pedir aos felizes compradores que o façam?





O vendedor garante o produto por um ano. Se quebrar, durante esse tempo, como provar que o seu uso foi o recomendado pelo fabricante e não por brincadeira dos capetinhas da casa? Também me intrigou o fato de que, no anúncio, o fabricante garante que a tal cadeira tem certificado ISO 9000. Como será que fizeram os testes de funcionamento e real obtenção dos efeitos desejados?







Como você, leitora e leitor dessa LUA QUEBRADA, pode verificar pelas ilustrações (do tal anúncio), essa geringonça do amor vai realmente apimentar sua relação. Não sei se faz barulho, porque, afinal, deve ter um motor que movimente suas peças. E se isso acontecer, com certeza também vai apimentar a vida sexual da vizinhança. Além do fato de que, com o tempo e o uso, algum tipo de rangido ela poderá ganhar, e muita gente ficará sabendo a rotina do casal: quando faz, o grau de animação com que faz e com que frequência o faz. 

 Legal, não?






Enfim, são geringonças que se inventam para aumentar o prazer. E que, às vezes, provocam mais dor de cabeça do que realmente tesão. Mas, como dizia um velho samba, “nesta vida, tem bobo pra tudo”. E tem gente que gosta de viver perigosamente... mesmo que seja apenas pilotando uma cadeira do sexo...

(Dream Love Chair: http://dreamlovechair.com/main_uk.html)

Nenhum comentário: