terça-feira, 31 de maio de 2011

A MARCHA DAS VADIAS







Este blog aborda assuntos relacionados a sexo. Porque sexo é a força da vida.

E mais: discutem-se, aqui, através de textos, poemas, contos, pinturas e ilustrações, os mais variados temas ligados a sexo com o escopo muito claro de combater preconceitos, de fazer que se aceitem todas as formas de sexo, desde que consensuais. Ou seja: não se admitem nem a pedofilia (considerando-se pedofilia a tara por menores ou crianças) e o estupro (o sexo forçado).

Com a seriedade de artigos, muitos deles traduzidos ou escritos por especialistas; com a ironia de autores de todas as épocas; com o escracho de poetas e escritores; com a beleza de fotos sensuais ou com o traço perscrutador dos ilustradores, temos procurado deixar bem clara a ideia de respeito ao outro.

Neste post, vamos abordar um assunto bastante sério: o estupro de mulheres que “provocam”.

O pretexto foi a proliferação, nos Estados Unidos, Canadá e Inglaterra, principalmente, das chamadas “’marcha das vadias” (slutwalk).




Essas marchas de protesto começaram a partir do comentário de um policial canadense, ao orientar universitárias a evitar o estupro: "Se a mulher não se vestir como uma vadia, reduz-se o risco de ela sofrer um estupro”.





Leia-se: a mulher não tem o direito de vestir-se como ela quer ou gosta. Um homem pode, muito bem, andar por aí sem camisa, de short, camiseta cavada etc. Mas, se uma jovem usa uma saia mais curta ou um decote está convidando os machos imbecis ao assédio e ao estupro.





Isso é simplesmente um absurdo machista. Contra o qual é necessário, sim, protestar. Estupro e assédio são atos de estupidez e barbárie.






Que as mulheres se vistam como quiserem, sem que sejam taxadas de putas (ou vadias). Sem que os machos bárbaros que povoam nossas cidades precisem ficar babando por um par de pernas ou de seios.





São cretinos e idiotas os que impedem que nossas ruas se povoem de beleza e encanto, o que tornaria a vida muito mais interessante. Apoiamos, portanto, as intenções e os objetivos das chamadas “marchas das vadias”. Porque, se são vadias as mulheres que desejam de fato a liberdade de ir e vir sem serem assediadas e estupradas, que se deem vivas às todas as vadias.




(Fotos da internet, autoria não identificada)



Nenhum comentário: