sexta-feira, 20 de maio de 2011

EROS NO DIVÃ, COM FIAMMETA CÉLESTINE






(La Fiammetta) 





Fiammetta Célestine. 

Não, você não vai encontrá-la na internet. 

Ainda. 

Apresento-a a vocês, leitores e leitoras de bom gosto desta LUA QUEBRADA.




(Pandora)

Psicanalista e poeta nas horas vagas, algo assim entre o sagrado – Célestine – e o profano Fiammetta, a “pequena chama” que incendiou o coração de Boccaccio (1313, Paris – 1375, Toscana), como ela mesma se definiu nesse pseudônimo.

O erótico sutil dos seus versos, aqui ilustrados pelo pintor francês Jules Joseph Lefebvre (1836, Tournan – 1911, Paris), revela ou esconde os desejos mais profundos, o proibido e o permitido, tudo num só estado de paixão e emoção.

Com vocês, os versos de Fiammetta Célestine:


1. à rua


(Lady Godiva)



à rua,
nua loucura,
soturna luxúria.
à rua,
vagabundos sussurros,
putas em volúpia,
úmidas e infecundas.
à rua,
perversos nutrem
alunas miúdas
em penugem púbere

ah! súbita repulsa
dos frutos confusos,
convulsos,
oriundos de um mundo pútrido.


2. no espelho




(Odalisque)





no espelho,
eu e você.
seio, cheiros,
sabores.
Primeiros registros
no espelho,
você e ele.
seio-pênis--poema
Primeiros interditos

Gênese
lenda grega
patogênica
incêndio-labareda
excêntrico desejo


(A. não identificado)









Um comentário:

LEO disse...

Boa semana pra vc!
Leia no Blog dicas de dois GPs
BJJJSSS
Leo.SeximaginariuM