sexta-feira, 27 de maio de 2011

AINDA O BRINCAR




Pode parecer falta de assunto (e até pode ser), mas achei algumas ilustrações tão interessantes, que resolvi repetir a brincadeira do convite ao entretenimento, nesta semana em que se comemora o brincar.

Então, aí vão algumas sugestões de brincadeiras que podem continuar vida a fora:

1. Se não o fez quando criança, que tal agora exercitar o fetiche de brincar de médico (conforme Eugène Reunier)?






2. Com Fameni Leporini (escondendo-se tanto, que até deu um fragra..) ou com Serpieri (e sua criativa Druuna), que tal brincar de esconde-esconde?






3. A brincadeira no escorregador (ou no corrimão da escada) pode ser só entre meninas, como nos sugere Franz Von Bayros, ou entre meninas e meninos, como nos convida Tom Poulton:













4. Martin von Maele nos sugere duas brincadeiras: a primeira é aquela velha história de mostre o seu que eu mostro o meu; a segunda é uma pegadinha com as meninas: vamos ver quem consegue mijar mais longe? Ambas são muito engraçadas, não?











5. Uma brincadeira bem “máscula” ou, se preferirem, “de homens”: quem goza primeiro, na punheta? A sugestão é de Michael Zichy:







6. Uma corda presa numa árvore, um pneu ou uma tábua bem cortada e, pronto, aí está o balanço a embalar o erotismo, de acordo com Rowlandson:








Enfim, sexo pode ser uma ótima brincadeira. Ou uma ótima brincadeira pode se transformar em sexo. À escolha do brincalhão.


(Deveria)





Um comentário:

Júlio Machado disse...

Só tem que se tomar cuidado para que essas brincadeiras não seja o fim das "criancices" e o começo das criançadas.