sexta-feira, 30 de julho de 2010

PARAFILIAS E FETICHISMOS: ASFIXIA



ASFIXIA SEXUAL 

(BREATHPLAY)






Se você leu o artigo anterior, percebeu que a mulher goza de forma não apenas diferente, mas que seu orgasmo tem um tempo maior de duração.


Parece que daí nasce a necessidade de também o homem ter seu gozo prolongado. E uma das formas de se conseguir isso é pela ASFIXIA SEXUAL.






Uma prática perigosa, é preciso deixar muito claro.


Em junho de 2009, o ator David Carradine foi encontrado morto, no quarto de um hotel em Bangcoc, Tailândia, com uma corda amarrada no pescoço. Causa provável da morte: autoasfixia erótica.

O filme IMPÉRIO DOS SENTIDOS (aqui mesmo já comentado) retrata o caso verdadeiro da prostituta Sada Abe que, nos anos trinta, no Japão, matou o seu amante por asfixia erótica e depois cortou-lhe o pênis.






(Filme: Império dos Sentidos)




Fico sabendo que, em Portugal (sem piada, por favor!), morrem cinco a dez pessoas por ano, vítimas da mesma prática. E há, na história, inúmeros casos fatais de pessoas, famosas ou não, que se descuidaram e acabaram não resistindo à brincadeira.




O que é ASFIXIA ERÓTICA?





É a privação total ou parcial de oxigênio ao cérebro, através do controle da respiração para aumentar o prazer no orgasmo.

Existem várias formas de se conseguir isso:
  • Autoasfixia – independente da variação, é quando a própria pessoa aplica em si o ato.
  • Afogamento – mergulhar a cabeça na água.
  • Estrangulamento – mãos ou braços estrangulando o pescoço.
  • Hand Smothering – mãos tampando boca e nariz.
  • Breast Smothering – asfixiar com os seios.
  • Máscara de Gás – uso de máscaras para conter a passagem de oxigênio.
  • Face Sitting – asfixiar sentando na face.
  • Garroteamento – uso de cordas, lenços e outros em volta do pescoço para asfixiar.
  • Sacos Plásticos – uso de saco ou filme plástico na cabeça para conter a passagem de oxigênio.
  • Trampling – asfixiar pisoteando, seja pela compressão no tórax ou pés no pescoço.


(Harukawa)


Repetimos: é uma prática bastante perigosa, que deve levar seus seguidores a tomarem excessivo cuidado.



Do site A VIDA SECRETA, retirei esta lista de cuidados e riscos:




  • Ter consciência que há risco de morte. É claro que atravessar a rua também é arriscado e nem por isso a gente deixa de fazê-lo, no entanto, os riscos com a prática são reais e não apenas “terrorismo” da minha parte.
  • Se fizer, nunca faça sozinho. Os casos de morte por autoasfixia são mais numerosos do que por estrangulamento.
  • Confiar no outro durante a prática é primordial, crie um código (algo como dois tapas na cama ou no braço, talvez), mas lembre-se de que, durante o ato, pode haver certa desorientação, portanto, estar com alguém que seja extremamente consciente é essencial.
  • Evitar estar alcoolizado, asfixiador e asfixiado. O álcool muda os parâmetros de julgamento e pode colocar em risco o prazer e a vida.


  • Estar preferencialmente sentado ou recostado é mais seguro. Dessa maneira, o asfixiado pode pousar a mão no braço do asfixiador e pode ser um bom sinalizador se o braço pender com um possível desmaio.
  • Se estiver asfixiando por trás (chave de braço em volta do pescoço), uma boa dica é estar diante do espelho. Assim é possível observar melhor as expressões e reações do outro.
  • No caso de desmaio, soltar imediatamente para liberar a circulação sanguínea.
  • Um tapa no rosto ajuda também na reativação da circulação sanguínea.
  • Se a liberação do estrangulamento nem o tapa derem jeito, ligue imediatamente para a emergência e faça massagem toráxica. (Lembra que a primeira dica foi a de que há risco de morte? Pois é…)

Enfim, nada contra fazer de tudo (que não implique ofensa ao parceiro ou à parceira e que seja consensual) por um bom orgasmo. Mas, morrer por isso... acho que já é demais, não é?







Nenhum comentário: