terça-feira, 6 de abril de 2010

POEMA ERÓTICO



Simples assim




são tão simples as curvas
do teu corpo
são tão diretos os caminhos
do teu corpo
são tão previsíveis os fluidos
do teu corpo
são tão comuns os anelos
do teu corpo

mesmo assim me perco em curvas
mesmo assim retomo caminhos
mesmo assim bebo os fluidos
mesmo assim procuro os anelos

porque, amada,
mais que curvas, caminhos, fluidos e anelos
és o gozo que encontro em cada toque
cotidianamente
sem qualquer prurido, sem qualquer culpa


Um comentário:

Escrevendo na Pele disse...

Tão simples assim

te ler e sentir nas linhas, entrelinhas e entrementes, aguardente que me deixa grogue.

Tão simples assim

sentir a cena de carícias, os toques e a malícia. O jogo gostoso do prazer entre os fluidos, águas de cascatas descendo em rios.

Tão simples assim

o encantar-se pela sua poesia, as letras e a pena causadoras de reboliços.

Tão simples assim

...