sexta-feira, 30 de abril de 2010

DIA DE PREGUIÇA





hoje não, amor,
que é meu dia de preguiça

sim, eu sei do que tu gostas
eu sei bem como tu gostas
e daqueles jeitos todos
tu me dás, depois, muito cansaço

então, hoje não, amor,
que meu dia é de preguiça

sim, eu sei que promessas
foram essas,
que beijos foram despregados
e grudados
e tudo o mais
mas, e depois, amor, e depois?

não, é melhor não, que hoje
é meu dia de preguiça

gosto, sim, amor, quando tua
língua me percorre, quando
tuas umidades me esquentam
quando nua
te abres e te abandonas,
mas, enfim, hoje
não que eu não queira
não que eu não deseje
mas, enfim, é sim, meu dia
meu dia de preguiça

e por ser hoje o meu dia
de preguiça, vem aqui perto
e deixa
que eu te veja, apenas,
que te olhe
que me molhe
só com o pensar
sem tocar,
sem outro tesão
que o dos olhos

claro, amor, amanhã
de manhã, talvez
mas, sim, com certeza,
com absoluta certeza,
amanhã à tarde,
que hoje...

hoje é meu dia de preguiça




(Isaias Edson Sidney)







terça-feira, 27 de abril de 2010

LENDO A SORTE... NAS XANINHAS!





( foto: Dan Van Winkle)



Sempre me divertiram certos folhetos distribuídos por aí, enaltecendo as habilidades das cartomantes. Fazem de tudo: tratam desde unha encravada até a volta do amor perdido.

Há pouco, estarreci-me com a promessa de um pai-de-santo: traga o nome da pessoa e ela estará em seus braços em três dias!



(Drooker)


Aí, fiquei pensando: se é assim, vou lá e dou um nome que vai provocar um escândalo internacional, um incidente diplomático.

Fiquei imaginando a manchete do jornal:

CARLA BRUNI VEM A SÃO PAULO PARA ENCONTRAR O AMOR DE SUA VIDA!







(Carla Bruni - foto sem identificação de autoria)



E diverti-me mais ainda imaginando a campainha de minha casa tocando, eu abrindo e dando de cara com a Carla Bruni, mais um pelotão de seguranças e um bando infinito de repórteres, fotógrafos, paparazzi, além, é claro, dos curiosos.

E mais: no jornal, nas revistas, na televisão, a cara de espanto e desespero de Nikolas Sarkosy, pedindo à sua primeira-dama que regresse o mais rápido possível, antes que ele perca a paciência e envie alguns Rafalles para resgatá-la, mesmo que isso provoque uma guerra entre Brasil e França.


(Carla Bruni - foto sem indicação de autoria)


Então, pensei: melhor, não. Deixa quieto. Afinal, nem mesmo gosto tanto assim da Carla Bruni...

O que eu quero dizer: realmente extrapolam os pais e mães de santos, cartomantes e ciganas de plantão em cada bairro, em cada cidade, a nos prometer mundos e fundos, em troca de uns poucos trocados.

Sem mais nem menos, no entanto, quando pensei que já vira de tudo, nesse ramo “leitura” e desvendamento de nossa personalidade através de artifícios os mais diferentes, eis que dou de cara com uma seção chamada “Brèves de sexe” (notícias curtas de sexo), num site francês chamado “Librairie Blanche”, que promete “o melhor da literatura erótica contemporânea”:

Montre-moi ta chatte, je te dirai qui tu es !



Numa tradução livre : 



MOSTRA-ME TUA BOCETA, QUE TE DIREI QUEM ÉS !



(Foto sem identificação de autoria)


A seção é de uma escritora mais ou menos famosa, chamada ELIZABETH HERRGOTT, autora de vários livros, psicanalista, e agora se lançando numa carreira insólita : leitora de vulvas.

Fiquei pensando : deve ser uma nova profissão, a VULVOMANCIA ! Imaginei nomes piores, mas o pejo me proíbe de repeti-los, aqui.



(A. não identificado)



E mais : como alguém pode ser tão cara de pau !



Vejam o que diz a tiazinha (traduzi e adaptei para o português, eu mesmo, não sem uma certa dificuldade, porque, embora escritora, a leitora de vulvas usa uma linguagem tão pobre e tão estranha quanto os folhetos mal escritos de nossas cartomantes) :




(Flor: autor não identificado)



“Mais importante do que tirar a sorte, do que a borra de café ou a bola de cristal, as pregas do sexo da mulher revelam sua personalidade e seu futuro.




A personalidade da mulher está escondida em seu sexo. Por isso, é necessário estudar a forma de seu púbis, o monte de Vênus, os pelos, a cor, a pilosidade e o aspecto do pelo, se encaracolado ou liso, o formato da abertura, a carnação da pele, os grandes lábios, os pequenos lábios, o orifício vaginal, a vulva, a glande do clitóris muitas vezes visível ou escondida em seu capuz.



(A. não identificado)


Se você deseja conhecer o perfil morfo-sexológico de sua companheira e lhe fazer conhecer, não hesite em fazer chegar a foto de seu sexo a Elizabeth Herrgott.




Esta vasta paisagem é muitas desconhecida de sua proprietária que jamais sonhou em conhecê-la mais profundamente, ó tristeza! ela jamais conheceu algum parceiro bastante curioso para lhe descrever de tal modo que ela pudesse admirar-se de aprender que seu clitóris tem a forma de um caroço de cereja... 




Só existem livros de anatomia repetitivos para nos mostrar nossos sexos em desenhos infelizmente rudimentares e sem estética. Numerosas mulheres ainda por cima não se deixam ver nem mesmo no estado de abandono, e os homens são todos também ignorantes. Um homem, escreveu Balzac na Fisiologia do casamento, não pode se casar sem ter estudado a anatomia e dissecado uma mulher pelo menos.”





Nem vou comentar esse discurso estranho, em que até o pobre do Balzac entrou de gaiato, principalmente por estar na Internet, onde abundam (!) fotos de mulheres em todas as posições possíveis... mesmo em sites que não sejam pornográficos. Fora as revistas... etc... etc... etc...


(A. não identificado)


Bem, duas mulheres já lhe haviam enviado suas fotos, para a “leitura” de suas personalidades. Eis o que escreveu a tiazinha a respeito de uma delas, uma tal de Juliette. Leiam e tirem suas conclusões a respeito dessa “vulvomancia”:





(A. não identificado)


“A cona de Juliete é uma joia rara, brilhante, impulsiva, aberta, virulenta, é uma natureza extrovertida. A cona aberta se oferece favoravelmente ao olhar e à obsessão, ela é exibicionista dentro da alma. O orifício vaginal dilatado assinala uma ausência de culpa, buraco negro cloacal espetacular que procura sugar, desejo diabólico.

                                                                                                                                            (Edouard Chimot)

A fenda vertical perfeitamente traçada indica uma vontade inflexível, mas os pelos encaracolados, ondulados de um negro de azeviche em contraste com os grandes lábios e os pequenos lábios de um rosa carmim, traduzem uma aspiração à harmonia, uma sensibilidade sem afetação.






(Edouard Chimot)


A vulva em forma de cálice é um convite. Juliette é uma mulher voluptuosa, hábil, fecunda, inteligente e temerária. Consciente de sua beleza sem vaidade.


(Edouard Chimot)

O clitóris em seu capuz em forma de boina é acessível à vista, proeminente. Juliette tem prazer de viver, é uma hedonista que ama as artes, a natureza, todos os prazeres. Um poço de amores. Um fruto em eclosão. Mulher generosa, sem mesquinharia que se lança, irresistível, mas não se desvia da rota.”






(Autor não identificado)

Então, pelo clitóris fica-se sabendo que a mulher gosta de artes... que artes? Música? Pintura?... Poesia! Ou um clitóris dançarino, talvez!

(A. não identificado)


Será que, em breve, veremos por aí, espalhados em postes, anúncios de “vulvomancia”, com algum espertinho prometendo a felicidade conjugal ou coisa semelhante a mulheres que lhes enviarem fotos de suas bocetas acompanhadas, é claro, de um polpudo cheque ou recibo de depósito em conta?






Ou será que a consulta passará a ser ao vivo e em cores?




(Foto sem indicação de autoria)



sexta-feira, 23 de abril de 2010

NOTÍCIAS DE SEXO... NA WEB







A primeira, engraçada.

Será que há coisas que só acontecem na Alemanha?

Pois é, esta ocorreu na cidade de Bochum, no estado de Renânia do Norte-Vestfália.



Uma senhora, aflita, liga para a polícia e diz que está ouvindo um barulho suspeito em seu apartamento. Como esse ruído podia ser ouvido até mesmo pelo telefone, os atendentes não tiveram dúvida: enviaram uma patrulha ao local.






O comunicado da polícia de Bochum diz que, “seguindo apenas os seus ouvidos”, os bravos agentes atravessaram o apartamento na pista daquele barulho, cada vez mais alto, e chegaram ao quarto da moradora. O suspense chegava ao fim: dentro de uma gaveta de pertences pessoais, um vibrador! Ligado por acidente, ressoava por todo o apartamento.

E o boletim de ocorrência da polícia diz, de uma forma mais ou menos delicada e irônica, que “depois de uma rápida mudança de cor de suas faces”, a senhora conduziu os policiais até a porta e estes não deixaram de lhe desejar uma “muito boa noite”.

Pois, é: esta é a primeira vez que alguém chama a polícia para ser salva de seu próprio vibrador!







A segunda notícia vem do site do designer Andy Kurovets.


Ele apresenta um mouse que poderá fazer a alegria de muito marmanjo que não sabe onde fica ou ainda não encontrou o ponto G de sua mulher, namorada, ficante etc.

O mouse PONTO G tem o formato exato das curvas do sexo feminino: uma boceta com o botão de click localizado exatamente onde seria o famigerado ponto de orgasmo das mulheres.





É claro que esse brinquedinho excitante ainda não está à venda, mas poderá ser, quem sabe? uma boa sugestão de presente para o dia dos namorados do próximo ano, não é? As mulheres poderão, ao mesmo tempo, agradar e ensinar aos seus maridos, amantes etc. exatamente onde fica o seu ponto G.

E você, meu caro, com esse mouse, poderá imaginar que, cada vez que busca seus sites preferidos, está levando ao gozo a sua parceira. E isso, incontáveis vezes ao dia...

Ou seja, quem não tem cão, caça com mouse... Ou algo assim!

Vejam o belo desenho desse intrigante mouse:








terça-feira, 20 de abril de 2010

GREVE DO SEXO





Sabe a famosa cena dos três macaquinhos? Ausência de tudo, mais do que enfiar a cabeça na areia: 

NÃO VEJA, NÃO FALE, NÃO OUÇA






Fiquei pensando em Lisístrata, numa greve do sexo, com as mulheres pelas ruas gritando - por seus direitos? - contra a guerra? - pela ecologia ? – pela salvação do planeta? – contra os pedófilos? - :



NÃO VEJAM, NÃO OUÇAM, NÃO FALEM... NÃO FODAM!






(Fotos da internet, sem indicação de autoria)


sexta-feira, 16 de abril de 2010

UMA CRÔNICA PORTUGUESA, COM CERTEZA







Quem tem peito vai a Lisboa. É isso? Ou nada disso, ó pá?



Procura-se, acha-se. Por lá, por cá, há sempre um site, um blog, um texto que nos chamam a atenção, nessa rede infernal.



Por acaso – sempre ele! – encontrei a Teresa C. Só isso, Teresa C. Portuguesa, blogueira, cronista com sabor da velha terrinha, sardinha assada e pastéis de Belém. Bebem-se ou comem-se suas palavras com o sotaque carregado da lusa gente, tão diferente, sendo tão igual.



Teresa C. e os sutiãs. Que fala de peitos, de seios, de encantos, de mulheres.



Dou-lhos a ti, caro(a) leitor(a) eventual desta Lua, às vezes quebrada, às vezes em frangalhos, mas sempre novidadeira.


Para ler com o lusitano sotaque de Lisboa, de Coimbra, de Trás-Os-Montes, se quiser (e... ah, sim: seu blog chama-se SEM PÉNIS NEM INVEJA):


SUTIÃS






«Soutenir». Aparar. «Soutien». Sutiã. «Poitrine». Peito, mamas. «Apara mamas» na gíria. Masculina. Nacional. Sugerindo decadência. Atributos pingões. Prontas a deslizar se libertas da suspensão. Como calças de barrigudos que por via dos suspensórios as retêm. Ou pénis estafado sem reacção. Em qualquer caso decadência. Ou se aparam, ou caem no chão. Aqui chegados, é altura de olhar de lado os cães, não estejam esfaimados e abocanhem o que caiu.




As mamas naturais, isentas de cortes, implantes, injecções de sutiã químico, escasseiam nas proeminências sociais que da imagem fazem sustento. E compreendo - em tempo de espírito diminuído, a generosidade dos atributos pudendos cresce na mesma proporção. Em qualquer dos casos carecendo de mais do que suporte - tapa-mamilos. Esta é a verdadeira questão. Os mamilos são atrevidos. Revelam, sem apelo ou agravo, da mulher a natureza sexual. No tempo quente, a finura dos tecidos carece de forro íntimo, não se arrepiem os bicos mamários e expluda a fantasia dos espectadores. Masculinos, já se vê, porque as damas conhecem desses botões os humores irracionais.






A escolha de um sutiã não é acto leviano. Preservando o que o nascimento forneceu, raro é o contento feminino com cabelo, rabo, e mamas. Podem eles admirar o que nós desaprovamos que nada altera. Admito que um quarenta, até ao metro e setenta de altura, é excesso escusado. Inclina a coluna e sobrecarrega o aspecto da mulher. Depois, obriga a sutiãs reforçados, que disfarcem o peito e permitam figura elegante. Ficam espalmadas as mamas como biscoito que não cresceu. Por outro lado, sendo redondas, o sutiã é suposto exibir delas a conjunção (rego) sem dispersões banais. 





Entram ao serviço os arames forrados para as conter no centro. Pequenas, obrigam aos arames e a enchumaços nos sutiãs. De bom tamanho, porém largas, ou caídas, vão-se os enchumaços e ficam os arames. Com vestido cai-cai, a complicação é maior. O nada é o que prefiro. Porém, para os extremos da abonação, enormes ou pequenas, caídas como sacos de supermercado, termina pouco acima da cintura o que a caixa do peito não prevê. A desarrumação é total. Os sutiãs sem alças ou marcam gorduras ou espreitam do vestido ou não cumprem de suporte a função.




A metafísica do sutiã carece de estudo adaptado a mulheres. Empanturrados que os homens estão de imagens da perfeição dos mutantes femininos, os inocentes desiludem-se com o real, os experientes, cumpridos os mínimos, valorizam o toque, a forma que lhes enche ou sobra da mão, a macieza da pele, o mamilo eréctil à carícia, o prazer que nelas e por elas a mulher tem. E eles por vida delas – das ditas e da dona que sabe aproveitar o que tem.




(Teresa C. – Portugal)



http://sempenisneminveja.weblog.com.pt/arquivo/2006/09/sutias.html



(Ilustrações: Barndog)



sexta-feira, 9 de abril de 2010

O PREÇO DO PRAZER... PARA AS MULHERES





(foto: Jo Graetz)



Que os homens também devem ler. Afinal, pode ser que acabem pagando a conta. Ou não!


Por isso, recomendo a todos – homens e mulheres – que leiam até o fim. Embora a conversa vá ser um pouco longa.

O assunto: quanto pode custar uma noite de amor – não uma noite qualquer, mas uma noite muito especial?

Bem, vou ao padrão europeu. Pretensão, claro.

Se é para gastar os tubos (mesmo que só de mentirinha), que gastemos em EUROS!




Fui, portanto, às compras numa loja da França. Afinal, lá está o bom gosto, lá está a elegância... e os preços mais salgados.

A pergunta é: se uma mulher quiser se produzir ao máximo e usar todos os produtos possíveis do prazer, para uma noite de amor, quanto deverá gastar?

Bem, então vamos lá:

Comecemos com brinquedinhos eróticos.

Que tal um vibromassageador de bolso? Diz a sua propaganda: “pequeno, compacto e discreto, cabe na palma da mão. Sua forma acompanha as curvas naturais do corpo feminino, para a melhor massagem do clitóris, que vibrará de felicidade. Tamanho : 75x36x25 mm. Uma carga lhe dará 7 horas de utilização... e de prazer ! »




Preço? 99,00 euros.



Um consolo! Sim, por que não? Muito útil, em certos momentos. Que tal este?





“Um suntuoso pênis artificial, de vidro, que une as qualidade de seu material à sutileza de sua forma: pode ser usado aquecido (com água quente) ou gelado (diretamente do freezer), enquanto seus recortes multiplicarão seu prazer. Produzido artesanalmente em altas temperaturas, seu vidro é praticamente inquebrável.”



Comprimento: 20 cm.



Diâmetro: 3 cm.

24,20 euros.

E já que falamos em penetrações, nada melhor do que este brinquedinho original e extremamente sensual: o Rosebud!



“O Rosebud é uma jóia magnífica, para uso... atrás!


Esse plugue (pequeno pênis anal) fará a felicidade de quem olhar para suas nádegas. Quando estiver de quatro, as duas bandas de sua bunda (que beleza!) descobrirão esse cintilante cristal bem no lugar de seu ânus. “

Comprimento : 7,5 cm

Diâmetro: 3 cm

Peso : 170 g



99,00 euros



Um brinquedinho estimulador são as “bolas japonesas” ou ben-wa, que são duas bolinhas unidas por um cordão “que exercitam e fortificam os músculos da vagina, numa estimulação física e mental que aquece os encontros íntimos”.




24,90 euros




Bem, com todos esses brinquedos, é preciso um bom lubrificante, não é mesmo? E lubrificante não pode ter substâncias agressivas, que possam fazer mal. Então, “Le Lubran é o lubrificante feito na medida pelo Dr. Waynberg, um eminente sexólogo: é um gel à base de água, incolor, inodoro, sem sabor, anti-alérgico, não espermicida, que não mancha e sem glicerina (não causa micoses)”.









Frasco com 30 ml: 11,90 euros




Para apimentar, mesmo, a noite, que tal estes dois produtos: algemas e massageador?



“Estas algemas são tão eficazes quanto as verdadeiras, mas infinitamente mais elegantes: cristais austríacos darão a seus pulsos a carga erótica que eles merecem”.



169,00 euros.



« Este massageador vibrante e elétrico e revolucionário é ideal para uso individual ou a dois. Alia o benefício da massagem com a eficácia do vibrador».



99,00 euros



Não se esqueça de seu parceiro, minha cara. Se você se preocupa tanto com o seu prazer, é preciso que « ele » funcione o melhor possível. Então, que tal este « anel peniano de luxo... de que as mulheres devem se aproveitar sem moderação? Ele prolonga a ereção e incrementa o prazer no momento do orgasmo. Feito com aço cirúrgico, estimula o clitóris da mulher, graças a um pequeno vibrador cilíndrico que se posiciona bem em cima do grelo durante o ato sexual. Vem com dois anéis e duas pilhas ».



129,00 euros



Ah, sim, talvez você, mulher, também precise de um “estimulador do prazer”! E mesmo que não precise, exatamente, pode usá-lo para intensificar a relação. Então, você poderá adquirir o “Gel estimulador Play O: fruto de longas anos de pesquisa, esse gel associa ingredientes únicos que estimulam e intensificam o prazer feminino e permite atingir o orgasmo de modo sistemático e mais intenso... Ao aplicar no clitóris e nos lábios vaginais, o efeito dura cerca de 20 minutos”.



16,50 euros



Um detalhe importante, e é bom se prevenir: muitas mulheres « não gostam de fazer amor durante a menstruação, ou isso incomoda seu parceiro. Nada mais simples agora, graças ao uso desses tampões : basta inserir segundo as instruções, um pouco antes do encontro, e seu parceiro não perceberá absolutamente nada » .


18,90 euros




Um pequeno requinte a mais? Use o “delicioso pó colorido”, que “faz cintilar sua pele para melhor oferecer uma degustação sem fim. Leve, sutil, colorido, é mais delicioso ao gosto que ao toque. Espalhe por todos os lugares onde você quer ser devorada!”

Você só precisa delimitar bem as áreas a serem lambidas, comidas, devoradas... que pode valer a pena.





42 euros



Isto não é detalhe, é gênero de primeira necessidade, em qualquer relação: camisinha! E já que é para gastar, vamos ao melhor: que tal estes “preservativos para estimulação máxima, com nervuras e perolado, testados dermatologicamente, com lubrificante ligeiramente perfumado”?

Veja que Durex, lá, é preservativo e não "fita adesiva" (e isso vale também para nossos patrícios portugueses)!






19,90 euros



Claro que ainda há muitos outros “acessórios” que o casal pode imaginar, combinar e comprar. Fiquemos por aqui e vamos ao outro item importante, principalmente para a mulher: o que usar. E o quesito “o que usar”, aqui, refere-se exclusivamente à intimidade, ou seja, lingerie.

Então, comecemos por dois itens fundamentais: calcinha e soutien.

Caprichemos!




“Uma calcinha de alta costura, criação excepcional de dois artitas ingleses: Mélanie Probert e Lisa Z. Morgan. Verdadeira obra de arte, com temas que se misturam com harmonia: beleza, fragilidade, sexo e volúpia. Sensualidade reforçada pela escolha do tecido: seda, cetim, musselina e tule. Feita a mão, cada uma é uma peça única. Veja este modelo de musselina com uma bonita flor de seda, que libera um perfume erótico de sua delicada tranparência”:






Essa “joia” custa a bagatela de 205, 00 euros.




Sutiã. Depois da calcinha, outra joia que deve enfeitar e valorizar seu corpo. Então, vamos escolher um que tenha um « decote bastante generoso, alças de um suntuoso azul que ajudam sobretudo num strip-tease excitante, fantástico», ou seja, um sutiã que a torne irresistível. Este :






59,00 euros





Pernas ! Valorizadas e, na hora h, desprezadas : uma para cada lado, ficam esquecidas. Mas, antes, que beleza contemplá-las, principalmente se vestidas com « estas luxuosas meias, que as tornarão fascinantes, demoníacas » :









19,90 euros




Uma cinta-liga pode ter muitos desenhos, mas esta é especialmente « minimalista – concentra-se no essencial e deixa de lado o supérfluo. Discreta e sexy. Dois atilhos de metal e silicone são cobertos por uma fita de cetim negro » :



25,00 euros




Para completar o charme e a elegância íntimas, « esse luxuoso espartilho(corselet ou corset under-bust), feito de tule negra flocada de pontinhos pretos, bordas de cordão de veludo negro, um convite à feminilidade » :


369,00 euros

Bem, nossa conta, a essa altura, já está em 1.429,30 euros. Muito ?




Pois acrescentem, por sua conta : vestido, um belo vestido de noite ; sapatos (um item que muitas mulheres apreciam comprar... aos montes, como se fossem centopeias) ; cabeleireiro, manicure, maquiagem...



E mais : motel e um belo jantar com um excelente vinho (ou champagne)...
Enfim, por apenas uma noite, uma noite apenas.



Uma noite para toda a vida.



Plagiemos Fernando Pessoa : « tudo vale a pena, se o tesão não é pequeno ».



Não rimou, claro, mas você pode colocar a palavra « tesão » no feminino que, em português, para o sentido que empregamos, vale tanto « o tesão » quanto « a tesão ».



E aí, até a rima fica perfeita... tanto quanto esta noite... para um grande amor.





(Anthony Christian - Psyche an her Beau)