terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

CALCINHA: UMA BREVE HISTÓRIA























Depois que a mulher tira a calcinha, tudo é possível.

Para o homem, essa peça do vestuário feminino tem o apelo de mitos da criação e da fecundidade. E, principalmente, de erotismo e sexo.

Uma mulher só de calcinha é tão sensual quanto sem ela.



















Porque é o último reduto da conquista. Tirá-la significa ganhar o paraíso... ou o inferno, dependendo do que vier depois. Mas, não sejamos pessimistas: se o assunto é calcinha, fiquemos só na sensualidade que ela provoca.

























Estamos tão acostumados, hoje, com a calcinha, que nem nos damos conta de que é uma peça de criação recente, na história do vestuário humano: surgiu por volta de 1800.

























E quem nos conta a história da calcinha é a escritora inglesa Rosemary Hawthorne, no seu livro “Por baixo do pano – A história da calcinha”.


Em 1790, as mulheres européias passaram a usar elegantes vestidos de inspiração grega, feitos de musselina, denominados, então, “vestidos império”: embora longos, eram mais leves e sensuais, deixando as chamadas partes baixas muito ventiladas.


Assim, por volta de 1800, apareceram os primeiros modelos de “calcinhas” que não eram exatamente calcinhas: eram calções longos que chegavam abaixo dos joelhos ou iam até os tornozelos, confeccionados em tecidos que imitavam a cor da pele.

A partir daí, ninguém mais segurou a evolução da calcinha. E hoje, a mulher moderna busca, quase sempre, modelos e confecções que melhor atendam às suas necessidades e ao seu conforto.


No entanto, como complemento à sensualidade, muitas vezes, o conforto dá lugar ao erotismo e à provocação:

























Com tais modelos, o “tirar a calcinha” é só uma força de expressão. Porque o paraíso está mais para visto do que vislumbrado.


Serviço:

Livro: Por baixo do pano – A história da calcinha – 136 páginas

Imprensa Matrix Editora


Autora: Rosemary Hawthorne

Formou-se em Artes Dramáticas pela Royal Academy antes de voltar seus interesses para o estudo do vestuário. E, a partir de então, tornou-se a maior autoridade britânica em História da Roupa Íntima, acumulando um vasto acervo pessoal de peças de interesse histórico. Hawthorne é conhecida hoje no Reino Unido como Knicker Lady, a Dama das Calcinhas, nome do espetáculo solo que apresenta com sucesso nos palcos do país.





Nenhum comentário: