sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

MUITO ALÉM DO KAMA SUTRA





Quem nunca se imaginou fazendo estripulias na cama? Aquelas posições complicadas e... quase impossíveis? Um verdadeiro atletismo sexual? Então, recorre-se ao Kamasutra.



(Kamasutra gay)

O velho e conhecido guia sexual – que tem preenchido a imaginação de milhões de pessoas – tem seu ponto alto na descrição e sugestão de posições amorosas. Além de toda uma série de cuidados e delicadezas trocadas entre os amantes, o preparo físico para o amor, através de posições as mais estranhas, não parece preocupar o autores desse manual.





Afinal, deve ser fácil, para qualquer um, dependurar-se num trapézio e fazer amor ao mesmo tempo em que diz palavras sussurradas ao ouvido do parceiro, enquanto lhe derrama pelo corpo lavandas e perfumes, ou consome algum fruto afrodisíaco, como semente de papoula adoçado com leite de elefanta. Se é que leite de elefanta seja doce.




(A. não identificado)


Bem, de qualquer modo, muitos amantes se preocupam em, pelo menos alguma vez na vida, apimentar o ato amoroso tentando posições diferentes, que lhes tragam algum prazer extra. Como o Kamasutra já está mais do que conhecido (não exatamente praticado na mesma proporção), pesquisei por aí e achei algumas posições meio esdrúxulas.






Que tal experimentá-las? O êxito será proporcional ao risco ou vice-versa.

Que tal esta, em que os parceiros podem fazer amor e, ao mesmo tempo, executar uma dança ao som de seu hit preferido, como Madonna ou Lady Gaga? A sugestão é do pintor alemão Peter Fendi (1796-1842):






Ou, ainda, algo mais acrobático (esse Fendi – não confundir com uma famosa fashion house – tem mesmo imaginação):




Talvez tenha sido gozação do alemão, mas ele foi ainda mais criativo, ao imaginar esta cena:



Não sabe tocar trombeta (sem duplo sentido, claro)? Então, vamos a algumas posições mais “fáceis”, que também não estão no Kamasutra.



(Rowlandson)


Os pintores, desenhistas e ilustradores antigos forçaram a barra, muitas vezes, soltando a imaginação e criando situações inusitadas, provocativas, que deviam incendiar a imaginação de nossos antepassados dos séculos XVI ao XIX, quando somente através da pintura ou do papel é que se podia divulgar o erotismo.



(Rowlandson)


Veja, por exemplo, esta ilustração, que um autor desconhecido fez para a obra “Ma Conversion, ou Le Libertin de Qualité” (1784), atribuída ao escritor francês Mirabeau:







Outro pintor, o francês Achille Deveria (1800-1857), também investiu seu traço nesta posição. E, ao que parece, deve ser tentada à meia-noite. Ou ao meio-dia? Bem, a hora não importa: mais vale a imaginação e algo mais, creio eu.





Não deve ser difícil reproduzi-la na vida real, já que o casal abaixo o conseguiu. Ou, não? Com muita imaginação e, claro, braço forte, pernas rijas e muita disposição, provavelmente depois de muitos exercícios de yoga, já que é uma das posições dessa prática ou muita malhação. Será que vale a pena? Enfim:





Aliás, disposição é o que não falta para este outro casal com complexo de Santos Dummont. Será ela uma aeromoça? Será ele um comandante da TAM? E você, embarcaria neste aviãozinho?



Para encerrar essa breve relação de posições inusitadas, apresentamos um verdadeiro “tour de force”, tanto para ele quanto para ela, Isto, no entanto, é possível? Alguém se arriscaria? E qual seria o prazer de conseguir tal façanha?







Enquanto você contempla a “maravilha” abaixo e tenta imaginar o truque para executá-la (uns trezentos viagras, talvez... uns dez anos de malabarismo, num circo...), vou já para uma academia de ginástica, ou melhor, para uma academia de letras (melhor preparar a língua, que é menos complicado). 





Observação: o autor deste blog não se responsabiliza por qualquer dano amoroso, físico ou psicológico ocorrido a partir de tentativas de reproduzir as posições mostradas: elas não são “sugestões”, servem apenas para incendiar sua imaginação. E mais uma coisa: o velho Kamasutra parece continuar imbatível.




Um comentário:

Anônimo disse...

Adoro posições diferentes. As melhores são as que deixam o cacete bem apertado na buceta sentindo o calor dos corpos com movimentos lentos chegando até o extase!