segunda-feira, 28 de setembro de 2009

TÁNATOS NO IMPÉRIO DE EROS








Ainda sob o império da ditadura e da feroz censura que, além de política, também era extremamente moralista, daquele falso moralismo característico das direitas, foi lançado meio tardiamente no Brasil o filme IMPÉRIO DOS SENTIDOS.


Quase um escândalo.




Digo quase, porque acho que realmente não foi visto por tanta gente assim, que justificasse um escândalo, passeatas, protestos etc.


Mas chocou. 





Com suas cenas fortes de sexo explícito, nunca antes vistas em cinema dito “sério”, ou seja, num filme que pretendia ser uma obra de arte. E, naquela época, arte e sexo não combinavam muito bem, na cabeça de certas pessoas.





Revi-o agora. Sem o escândalo. Sem os comentários idiotas de gente que destacava, por exemplo, a cena do ovo, para fazer piadinhas mais idiotas ainda (não, não vou descrever a cena: assista ao filme).




O que dizer de O Império dos Sentidos, agora?


Talvez apenas uma palavra: obra-prima!





Tem uma história magistral de amor, mas de um amor visceral, carnal, que extrapola qualquer romantismo que ainda pudéssemos ter em relação ao amor.



E mais: a presença de Tánatos no banquete de Eros traduz-se num dos mais perfeitos roteiros de cinema que eu já vi: nada é demais, nada é de menos.





O uso das cores para realçar tanto a paixão carnal quanto a presença sutil do sangue prepara sutilmente o desenlace de uma história acontecida no Japão de 1936, quando rondava o mundo uma das maiores tragédias da história.








Extremamente intimista, o filme é valorizado pela interpretação de Tatsuya Fuji, ator premiado e de grande sucesso no Japão, e de Eiko Matsuda, atriz de tal forma marcada pelas cenas ousadas do filme, que teve de abandonar seu País, passando a viver na Europa.









Serviço:

Ai no corrida, ou 愛のコリーダ (O Império dos Sentidos, no Brasil e em Portugal, e L'empire des sens, na França), é um filme japonês e francês de 1976, do gênero drama erótico, dirigido por Nagisa Oshima.


Encontra-se em DVD, nas boas lojas do ramo.




(Fotos da internet, sem indicação de autoria)




Nenhum comentário: