quinta-feira, 20 de agosto de 2009

MANUAL DE BOAS MANEIRAS... - NO TEATRO



Au théâtre


- Ne mettez pas la main sur le pantalon de votre voisin pour voir si le ballet le fait bander.



- Si vous remarquez qu’une danseuse a les cheveux blonds et les aisselles noires, ne

demandez pas tout haut pourquoi.


- Ne dites pas non plus tout haut : «C’est cette grande brune-là qui couche avec

papa !» Surtout si madame votre mère vous accompagne.


- Même si vous avez des renseignements complets sur les talents de la troupe, ne dites pas pour toute la loge : « Celle-là suce comme une pompe; elle tue qui elle veut; et celle d’à côté, elle marche par le cul. »



- Si vous entendez dans la pièce, des facéties un peu risquées, des allusions, des à-peu-près, ne les expliquez pas aux grandes personnes, même si les grandes personnes ont l’air de ne pas comprendre.



- Ne demandez pas non plus pourquoi le beau ténor n’enfile pas la soprano qui chante tout le temps comme si elle mouillait. Cela ne se fait guère sur la scène.



- Si le rôle de l’amant est tenu par une femme travestie, ne le hurlez pas à travers le théâtre : «Sale gousse! Rince ta langue! Ous-qu’est ton godemiché?» et d’autres phrases impertinentes que le public n’entendrait pas sans protestations.







No teatro


- Não enfie a mão sob as calças de seu vizinho, para ver se o balé o deixa de pau duro.



- Se você percebeu que uma dançarina tem cabelos loiros e sovaco preto, não pergunte em voz alta por quê.



- Não diga, pelo menos não em voz alta: “É aquela morenona ali que deita com papai!” Sobretudo se a senhora sua mãe está com vocês.



- Mesmo que você tenha informações completas sobre o talento da companhia, não diga pelas coxias: “Aquela ali chupa como uma bomba; ela mata quem ela quiser; e aquela ali ao lado, ela ganha dinheiro com o cu”.



- Se você percebe, na peça, algumas piadas de gosto duvidoso, alusões, referências, não as explique aos adultos, mesmo que eles estejam com cara de quem não entendeu nada.



- Não pergunte demais por que o belo tenor não come a soprano que canta todo o tempo como se estivesse molhada. Isso é uma coisa que quase nunca se faz no palco.



- Se o papel de amante é representado por uma mulher travestida, não lhe grite através do teatro: “Xoxota suja! Lave sua língua! Onde é que está o seu consolo?” e outras frases insolentes que o público não entenderia sem protestos.








Um comentário:

Escrevendo na Pele disse...

Lógico que não enfio a mão, mas meto os dentes.

Estranho né? Será que os da buceta são ruivos? Incógnita...

Não perguntaria mesmo, mas eu mesma iria prová-la na frente do púnlico e depois gritaria: Essa aqui é a putoooooooonaaaa que o meu pai cooomeeee! Só para a mamãe ter certeza de que o coroa ainda da de língua.

Mas eu sempre visito as coxias. E você sabe, sou muito discreta... aquela ali dá o cu e a xereca; aquela se masturba com o cabo da vassoura no cu; aquela chupa a rola do diretor...

Explicaria sim, porque sou uma pessoa muito elucidativa: " Sim, aquilo ali é uma cobra nadja e está pronta para dar o bote, sim, é uma piroca inflada querendo estocar uma vulva, mas na verdade é uma gruta úmida, tendeu?

Jamais gritaria aos quatro ventos tais palavras! Apenas participaria com a amante bem no meio da peça e ao final levantaria a saia e me apresentaria ao público. Eu hein, você tem cada uma.


A soprano, quando gemesse muito, enfiaria três dedos no cu dela, e depois mandava ver no cu do seu Antenor... ou seria Tenório? Ah, deixa pra lá. Você não explica nada direito mesmo.


E veja bem, da próxima vez que vier com essas regrinhas, meto a mão na sua cara!

e depois... chupo a rola.