quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

LA FONTAINE, QUEM DIRIA?



Numa tradução de José Paulo Paes, achei em meus arquivos este poemeto maravilhoso. E logo de nosso celebrado moralista La Fontaine. Fiquei em dúvida se seria autêntico, mas, de qualquer modo, é bom. Bebam-no, comam-no, gozem-no:




Epigrama

de La Fontaine



(André Leroux)


Amar, foder: uma união
De prazeres que não separo.
A volúpia e os prazeres são
O que a alma possui de mais raro.
Caralho, cona e corações
Juntam-se em doces efusões
Que os crentes censuram, os loucos.
Reflete nisso, oh minha amada:
Amar sem foder é bem pouco,
Foder sem amar não é nada.



(A. não identificado)


Nenhum comentário: