terça-feira, 12 de agosto de 2008

MICHEL POLNAREFF







E então, eu encontrei Michel, o Polnareff, cantor francês, nascido em 13 de julho de 1944. De família de músicos, começou a estudar piano aos 5 anos de idade. Tornou-se uma celebridade musical da França, não só por suas composições, seus shows, mas também por suas excentricidades. Para não alongar demais, eis alguns detalhes curiosos de sua biografia:

Após o primeiro sucesso, La puppé qui fait non, lançado em 1966, fez inúmeras turnês, mas recusou o convite para apresentar-se no Olympia, em setembro de 1967, alegando falta de experiência.

Para proteger os olhos, míopes e frágeis, apresenta-se sempre com óculos brancos e lentes escuras.

Reservado e celibatário, escreve, em 1970, a canção Je suis um homme, para rebater boatos sobre sua ambiguidade sexual.

Em 1972, é acusado de atentado ao pudor, quando espalha pelos muros de Paris um cartaz anunciando seu novo show – com a bunda de fora!

Em 1973, seu empresário embolsa toda a fortuna de seus shows e desaparece. Com uma dívida milionária com o fisco, exila-se nos Estados Unidos.

Em 1989, fica recluso num quarto de hotel, por 800 dias, para compor um novo disco.

Entre períodos de sucesso e reclusão, Polnareff volta ao palco da música popular francesa em 2006, com um grande show para mais de 100.000 pessoas, na França.


(Foto da internet, sem indicação de autoria)



Um comentário:

gabi disse...

o livro promete ser muito bom, uma mistura entre amor e erotismo, a música é muito bonita e triste també, pelo menos foi assim que senti.