segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

PÊNIS PEQUENO: O QUE OS HOMENS DIZEM




Ter pau pequeno é ou não um trauma para os homens?


Há algum tempo, demos voz às mulheres, que reclamaram bastante do tamanho inadequado de pênis. A maioria delas não gosta. Claro que sempre existem as que dizem que “tamanho não é documento”. Agora, chegou vez dos homens: o que eles sentem, quando têm pênis pequenos? Que soluções eles buscam? A reportagem a seguir levanta uma pequena aba desse debate. Há três depoimentos de homens ingleses, baseados numa pesquisa realizada na Inglaterra e, a seguir, destacamos alguns comentários de brasileiros que leram a reportagem e resolveram dar o seu depoimento. Tire a suas conclusões (fotos da internet, sem indicação de autoria):



TRÊS HOMENS ASSUMEM TER PÊNIS PEQUENO 

E CONTAM COMO LIDAM COM A CARACTERÍSTICA



Segundo pesquisa realizada pelo King’s College London, no Reino Unido, em 2015, o comprimento médio do pênis é de 9,16 centímetros quando flácido e de 13,12 centímetros em estado de ereção. O estudo, que envolveu 15.500 homens de vários continentes, mostrou que apenas 2,3% da população masculina tem pênis de dimensões consideradas “anormais” – muito menores ou maiores do que a média.


Ainda assim, quem não se encaixa nos padrões – ou se sente à margem deles – costuma sofrer bastante por causa de insegurança, baixa autoestima, medo de tirar a roupa na frente das mulheres e dos amigos e até dificuldade em transar. Veja, a seguir, relatos de três homens que encaram o problema.


André*, 24, universitário



“Todo mundo que diz que tamanho não é documento e que mulher não liga para isso não sabe o que é, na verdade, ter um pênis pequeno. Mesmo sabendo que esse depoimento vai ser postado com o nome trocado, não tenho coragem de contar qual é o tamanho do meu. Já busquei informações sobre cirurgias com urologistas e até técnicas alternativas, mas tenho medo de algo dar errado, e minha vida sexual acabar de vez. Só transo com garotas de programa porque elas não me julgam nem me humilham. Além disso, falam exatamente o que quero ouvir, mesmo eu sabendo no fundo que é tudo mentira.”


Alfredo*, 45, professor universitário



“Meu pênis ereto mede 10,21 centímetros, e faço questão de ressaltar os milímetros, o que significa uns três centímetros a menos do que a média. Sempre fui meio gordinho, ou seja, a barriga avantajada faz com que ele pareça ainda menor. O preconceito existe, sim, e o bullying também. Na adolescência, meus amigos viviam me zoando, principalmente depois que me viram sem roupa em um acampamento da escola. A história do pênis pequeno se propagou e durou muitos anos, pois alguns colegas decidiram fazer o mesmo curso que eu, na mesma faculdade, e espalharam a história aos quatro ventos. Só fui conseguir transar no fim do penúltimo semestre, em uma festa, quando uma amiga resolveu ‘tirar a prova’ de brincadeira. O espanto dela e o meu medo não impediram que a transa fosse ótima. Namoramos por um tempo e tudo correu bem. Quando terminamos, foi complicado retomar a vida sexual. Porém, descobri que algumas mulheres se incomodam, outras não, há aquelas que encaram como um desafio. É claro que toda vez que tenho de ficar nu diante de uma garota tremo nas bases, mas aprendi a lidar com a situação. E sempre aviso antes, faço piada, invento umas brincadeiras. Incomoda, óbvio, mas não vou deixar de viver a vida nem de arrumar namorada por conta disso.”


Marco Antônio*, 32, dentista


“Fiquei quase dois anos sem transar por vergonha do tamanho do meu pênis. Essa sempre foi uma questão horrível para mim, mas a gota d’água aconteceu depois que uma garota, incomodada por não encontrar uma posição que a fizesse sentir prazer, simplesmente inventou uma desculpa ridícula, vestiu a roupa e foi embora. Nesse tempo de abstinência, acabei me masturbando ou vendo muita sacanagem na internet, mas achei que estava ficando viciado em pornografia. Fiz alguns meses de terapia, até estar seguro para abordar uma garota. Na hora H, senti o maior nervosismo, claro, então, resolvi estender as preliminares até deixar a menina bem excitada. No fim, correu tudo bem e ainda ouvi que ela tinha me achado bom de cama. Aí descobri um nicho de mercado (risos): mandar bem nos carinhos, no sexo oral, na pegada... Acaba compensando.”


* Nomes trocados para preservar a identidade dos entrevistados.


Comentários de alguns brasileiros:


Poucos foram os comentários realmente sérios. A maioria gabava-se de ter pau na média ou acima dela e, portanto, nada acrescentava ao debate. Acho que os homens de pau pequeno sofrem até mesmo o receio de confessar essa característica. Enfim, da meia centena de comentários que li, destaco apenas estes, que também pouco acrescentam ao debate:

Henrique Salem:



Se a mulher tem sensibilidade apenas nos 3 primeiros centímetros da vagina , do que adianta pênis de um metro e meio ???!!


Kinkyblvd:


Claro que pênis pequeno não é legal. Tenho 12,5 x 11,5 cm, com 9 cm de circunferência na glande. A camisinha comum fica frouxa, principalmente na cabeça; a ereção tem que ser muito boa sempre; qualquer oscilação faz ele ficar com 11 cm ou até menos e a circunferência cai para 10. Nesse ponto a camisinha fica toda enrrugada e frouxa. As posições ficam limitadas; tem que dar preferência para as que permitem introduzir todo o pênis. O ritmo da penetração também é limitado; não dá para ter muita amplitude no movimento e ficar "socando" senão ele escapa toda hora. Tem que penetrar e fazer movimentos mais curtos. Enfim, dizer que o tamanho não interfere em nada é bobagem. Você tem se adaptar a algumas coisas.


CBBBm:


Esse é um assunto que deveria ser tratado com mais seriedade. Todo mundo faz piada, tira sarro, existem inclusive diversas músicas zoando homens de pênis pequeno. Será que as pessoas não pensam no complexo que isso causa em homens de qualquer idade? Isso é bullying grave e tem que acabar ja!


Morais198


O importante são as preliminares, fazer a mulher sentir prazer primeiro com carinho, caricias, beijos e muito sexo oral, depois a penetração, deixar a mulher se sentir segura, e fazer sentir prazer primeiro.


Anorelino:



Pra que esquentar com o tamanho...O GOSTO DA BALA É NA BOCA


Homem-desconhecido:



Enquanto não existir solução segura para aumento peniano, não há como resolver o problema do pênis pequeno. O jeito é sofrer calado, omitindo, fingindo que não liga, aturar as piadinhas e as várias rejeições. Quando falam para focar nas preliminares/sexo oral e a falta de pênis não será notada, eu acho graça, pois, na minha experiência é o contrário: quanto melhor você é nas preliminares/oral, mais expectativa elas ficam para pênis/penetração. É notável o desânimo de muitas. Mais frustrante é você fazer a mulher ficar bem excitada e ver que ela tá ali disfarçando que tá achando pouco e sentindo falta de algo maior pra preencher. Pênis pequeno só atrapalha e deixa o sexo limitado, mas o jeito é seguir a vida aturando essa "coisa" e fingindo que não ligo. Os homens também adoram se iludir. Quem tem pequeno diz não ter problema com as mulheres é porque não imagina o quanto elas reclamam deles pelas costas nas rodinhas femininas.





Priscila Rodrigues - Colaboração para o UOL





segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

SEXO APENAS, SEM OUTRAS EMOÇÕES ENVOLVIDAS




 (Parque temático - Coreia do Sul)




O blog chama-se “Conversa Atrevida”. O adjetivo atraiu minha atenção e lá fui eu vasculhar suas páginas. Há textos interessantes. E um deles, em especial, trata de um assunto um tanto tabu, entre quase todas as pessoas: fazer sexo pelo sexo, sem outras emoções envolvidas. Sem nem saber quem é o outro ou a outra. Sexo tesão puro. Pois, é: pensa-se nisso. E o desejo – ou fantasia – não é masculino, não. Leia a crônica e sinta-se devidamente provocado/a, minha cara leitora, meu caro leitor (fotos da internet, sem indicação de autoria; fonte no final; mantive a linguagem original):



CONFESSA QUE 

VOCÊ NUNCA FEZ SEXO



Mas olha lá hein... Tô falando de SEXO mesmo, nada dos tradicionais “foder”, “transar”, “fazer amor”, “dar uma rapidinha”... 


Tenho pra mim que poucas pessoas já tiveram essa experiência; fazer sexo simplesmente (até porque SEXO costuma ser uma coisa muito complicada para a maioria das pessoas).


Estou falando de sexo sem beijos, sem sentir o cheiro do outro, sem ver se a cara do sujeito te dá vontade, sem reparar se a garota te provoca uma ereção... Só sexo, pelo sexo. Anal, vaginal, oral... 


Nada de um jantar antes ou uns ‘amassos’ depois... Só você, o outro e o tesão. Ah, e um buraco no meio. Ok, eu sei que você sabe que o sexo é feito de BURACOS. Ou melhor... NOS buracos. 


Mas não, eu não estou me referindo aos buracos corporais óbvios pra realização do sexo, estou falando em buraco mesmo... Na parede.


Quando eu tinha uns 14 anos costumava passar uns fins de semana no sítio de uma colega de escola. Íamos um grupo de quatro ou cinco garotas. Certa vez estávamos no banheiro fofocando quando, de repente, uma deu um grito. Numa das paredes um pequeno buraco e através dele entrava e saia um pênis (cena até comum em filmes como “American Pie”).


Foi um tal das meninas gritarem e dos garotos (amigos do irmão dela) do outro lado da parede rirem... Nenhuma das garotas foi lá tocar no pau... E os garotos ganharam foram uns “cascudos” por causa da brincadeira.


Na época eu só achei engraçado... Mas anos depois quando eu me lembrava da cena ficava excitada e toquei muita ‘siririca’ pensando daquele pau surgindo duro através daquele buraco; em como seria roçá-lo no meu grelinho, ser possuída por um pau sem rosto, sem corpo. 


Faz pouco tempo que descobri que ISSO tem nome: Gloryhole ou “buraco glorioso”.


Na Bahia, por exemplo, já teve (provavelmente ainda tenha) até local apropriado pra prática. Pra ser BEM franca eu não sei se na real eu teria tesão ou coragem pra me deixar penetrar ou pra cair de boca num pênis cujo dono eu não estou vendo... Mas na teoria até que eu acho BEM excitante. 


Olha que, de repente, abrir um buraco em um dos cômodos da casa pode até ser uma ‘brincadeirinha’ gostosa entre casais... Sempre acho que as pessoas (as mulheres principalmente) se preocupam MUITO em “fazer amor”.


Mesmo com o parceiro, é saudável lembrar, vez ou outra, o quão bom pode ser fazer sexo como algo FÍSICO. 


Sexo é ótimo pra relaxar, pra liberar endorfina, aumentar a frequência cardíaca... Sem contar que assim a gente não tem que se preocupar se a celulite na bunda ta aparecendo, não precisa ficar de beijos quando só ta a fim de gozar mesmo. 


LEMBRANDO que se você for se aventurar no “Gloryhole”, (aliás como em toda relação, independente do buraco extra na parede), CAMISINHA sempre porque o pau vai continuar entrando nos buracos tradicionais! E se não conseguiu “imaginar” como acontece essa prática, AQUI você tem vários exemplos.


Só pra você matar a curiosidade.



Fotos da internet, 
sem indicação de autoria.


Fonte:






segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

CUNILÍNGUA: A PALAVRA E O ATO - 2




Cunilíngua, o nome oficial, de cunnus, cona, boceta e língua; minete, o termo popular para o sexo oral feito na mulher, ou seja, em bom português, chupar uma boceta. Em Portugal, broche é o temo usado para a chupada e broche feminino, para a cunilíngua.



A minha dúvida continua: não sei se sente mais prazer quem dá ou quem recebe, quem chupa ou quem é chupado. Sei, apenas, que é bom, sempre muito bom, não importa o lado em que se esteja.


Também não sei se todas as mulheres gostam de receber lambidas e chupadas na boceta, no clitóris. Faltam pesquisas a respeito. Mas creio que a maioria deve gostar e, se há uma minoria que não curte muito, mesmo assim, deve se sentir valorizada, quando o homem (ou outra mulher) se dedica a essa arte. 


Já os homens... bem, acho que... bem... façamos o seguinte, se querem saber o que os homens pensam a respeito, leiam o texto a seguir. Será, no mínimo, divertido, principalmente com as ilustrações acima de Namio Harukawa e as belas fotos (da internet, sem indicação de autoria) que essa Lua safada selecionou para vocês...



CHUPAR BUCETAS É BOM DEMAIS!!!


Já há algum tempo saiu uma pesquisa revelando que 43% dos homens não fazem sexo oral em suas parceiras. Alguns dos motivos são cheiro e gosto ruins, quantidade de pelos, má aparência e medo de DST.


Admito que o número me surpreendeu um pouco. Quase metade dos homens não são tão chegados a dar uma chupada na mulher. É muita coisa, não?



Tudo bem, respeitamos quem não curte, mas ainda assim temos dificuldade em compreender essa realidade.


Sentir o gosto da parceira molhada e desejosa, explorando sua essência enquanto ela geme — quando não se aguenta, grita — de prazer e se agarra ao que estiver ao seu redor… quer maior deleite do que isso?



Sem mencionar o fato de que geralmente é no oral que a mulher experimenta as melhores sensações que o sexo pode lhe promover. Elas são loucas por uma chupada bem feita. Homem bom de cama faz sexo sem nojinho.


“Imagina como as mulheres se sentem quando eles não fazem sexo oral? É frustrante. Se a autoestima da garota não é lá essas coisas, chega a bater a deprê quando vê que ele não quer nem experimentar o gostinho do seu sexo.”



Pois bem, senhores, para não decepcioná-la desse jeito, eis a nossa recomendação: “O homem bom de cama sabe disso e abocanha o seio da garota até fazê-la gemer. Então desce roçando os lábios sobre a sua barriga, alcança o seu clitóris e esfregar a barba no meio das pernas, sentindo prazer em sujar ali o rosto todo, e em vê-la se retorcer. ”

Deu para compreender?



7 MOTIVOS PELOS QUAIS 

AMAMOS CHUPAR BUCETAS



Se você não curte dar uma lambida e não está afim de tentar curtir, sem problemas. Isso não faz de você gay, menos homem ou qualquer outra coisa que o valha. E, também, essa não é a única forma de dar prazer a uma garota, como falamos em “tudo o que você precisa saber para fazer uma mulher gozar”.

Mas, sem mencionar o fato de que a prática faz bem à saúde, certamente está deixando de aproveitar um dos grandes prazeres da vida. E por que é um dos grandes prazeres da vida? Ah, por vários motivos.


O Though Catalog conversou com uns caras para levantar alguns motivos — e não só faríamos como faremos das deles as nossas palavras. Saca só:



#1 Porque é tipo uma necessidade




Eu preciso da buceta da minha namorada como eu preciso de bacon, ovo e queijo quando estou de ressaca. Muitas mulheres ficam preocupadas sobre o gosto que têm, mas a maioria não deveria estar. A verdade é: se ele não achar que a sua buceta é deliciosa, ele não está tão na sua.

#2 Porque é um tesão vê-las com muito prazer



Eu amo a maneira como minha namorada se contorce quando eu faço sexo oral nela. Ela não é muito vocal na cama, mas agarra o lençol, curva as costas e se contorce toda antes de gozar. Esses movimentos automáticos acionados por um prazer físico são as melhroes retribuições que um homem pode pedir.

#3 Porque elas ficam agradecidas



Depois do oral, minha namorada é sempre tão boazinha comigo – e não digo só porque ela retribui o favor sexual. Ela levanta da cama e me pergunta, sorrindo, se eu quero alguma coisa para comer, e ela subitamente se mostra disposta a assistir qualquer coisa que eu queira no Netflix. É incrível. Seu clitóris é tipo um botão “seja boazinha”.

#4 Porque é um desafio


Chupar uma mulher é sempre um aprendizado. Você não pode contar com os mesmos truques para fazer o trabalho toda vez. Você tem que ler o seu corpo a cada contração e avaliar a situação em tempo real. Eu gosto do desafio. Eu sou tipo uma Wikipedia ambulante sobre a vagina da minha namorada, constantemente atualizando a seção como-fazê-la-chegar-lá e excluíndo todas as informações ruins.

#5 Porque queremos sentir o gosto delas


A mulher que estou saindo tem um gosto diferente quase sempre que eu planto minha cara no meio de suas pernas, mas sempre é um aroma tipo de sobremesa. Quando quer que tenhamos plano para nos encontrar, eu me percebo fantasiando sobre o gosto doce de sua buceta. Um toque de biscoito de morango… sorvete de baunilha… mousse de chocolate…

#6 Porque ouvi-la gritar é foda


Eu chuparia minha namorada todos os dias da semana pelo resto de minha vida só para ouvi-lá gritar. Nós até recebemos uma reclamação de barulho de um vizinho do andar de baixo semana passada. Ela estava acabada. E eu estava radiante de orgulho.

#7 Porque elas são lindas


Eu sou um cara visual, então aprecio cada chance de encarar os meandros da vagina da minha namorada. Eu amo inspecionar cara dobrinha de carne e sorver tudo.


E aí, faz sentido? Quais outros motivos lhes deixam malucos para sentir o elixir de uma mulher?



Fontes: